Cardiologia/Coração/CirurgCardíaca - Isquemia silenciosa na doença coronariana estável em vigência de tratamento medicamentoso.
Esta página já teve 117.146.228 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.642 acessos diários
home | entre em contato
 

Cardiologia/Coração/CirurgCardíaca

Isquemia silenciosa na doença coronariana estável em vigência de tratamento medicamentoso.

03/01/2008

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

 

Resumo

FERREIRA, João Fernando Monteiro, CESAR, Luiz Antonio Machado, GRUPPI, César J. et al Arq. Bras. Cardiol., nov. 2007, vol.89, no.5, p.312-318. ISSN 0066-782X.

FUNDAMENTO: Existem poucos dados sobre comportamento da isquemia miocárdica às atividades habituais na vigência da medicação em pacientes com doença coronariana. OBJETIVO: Estudar mecanismo gerador da isquemia miocárdica avaliando-se o comportamento da pressão arterial e da freqüência cardíaca em pacientes com doença aterosclerótica estável, medicados e com evidência de isquemia. MÉTODOS: Cinqüenta pacientes (40 homens) realizaram ambulatorialmente por 24 horas a monitorização eletrocardiográfica sincronizada com a monitorização da pressão arterial. RESULTADOS: Em 17 pacientes detectaram-se 35 episódios de isquemia miocárdica, com duração total de 146,3 minutos, ocorrendo relato de angina em cinco casos. Houve 29 episódios (100,3 minutos) durante o período de vigília, com 11 episódios (35,3+3,7 min) no período das 11 às 15 horas. A avaliação da pressão arterial e freqüência cardíaca nos três intervalos de 10 minutos posteriores ao momento de isquemia mostrou diferença estatisticamente significante (p<0,05), o que não ocorreu nos três intervalos anteriores. Entretanto, durante o momento isquêmico, percebeu-se elevação maior que 10 mmHg da pressão arterial e de cinco batimentos por minuto da freqüência cardíaca quando comparado ao intervalo de tempo entre 20 e 10 minutos anterior. A freqüência cardíaca média no início da isquemia durante teste ergométrico prévio ao estudo foi de 118,2+14,0, e de 81,1+20,8 batimentos por minuto na eletrocardiografia de 24 horas (p<0,001). CONCLUSÃO: A incidência de isquemia silenciosa é freqüente na doença coronária estável, relacionando-se com alterações da pressão arterial e da freqüência cardíaca, com diferentes limiares de isquemia para o mesmo paciente.

Palavras-chave : Coronariopatia; isquemia; eletrocardiografia ambulatorial; pressão arterial.

        · resumo em inglês     · texto em português | inglês     · pdf em português | inglês

 

 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0066-782X2007001700006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos