Dermatologia/Pele - Lacaziose (doença de Jorge Lobo): revisão e atualização.
Esta página já teve 110.853.064 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.762 acessos diários
home | entre em contato
 

Dermatologia/Pele

Lacaziose (doença de Jorge Lobo): revisão e atualização.

12/01/2008

Anais Brasileiros de Dermatologia

 

Resumo

BRITO, Arival Cardoso de e QUARESMA, Juarez Antonio Simões. An. Bras. Dermatol., set./out. 2007, vol.82, no.5, p.461-474. ISSN 0365-0596.

Lacaziose ou doença de Jorge Lobo é micose crônica, granulomatosa, causada por implantação traumática do fungo Lacazia loboi - patógeno não cultivável até o presente - nos tecidos cutâneo e subcutâneo, manifestando-se clinicamente por lesões nodulares queloidianas predominantes, envolvendo sobretudo pavilhões auriculares, face, membros superiores e inferiores, e não comprometendo as mucosas. A maioria dos casos humanos está registrada em países da América do Sul. Entretanto, a enfermidade apresenta aspectos epidemiológicos destacados, como o aparecimento em tribo Caiabi, no Brasil Central e em mamíferos não humanos, golfinhos de duas espécies (Tursiops truncatus e Sotalia guianensis) capturados na costa da Flórida (EUA), na foz do rio Suriname, na costa de Santa Catarina (Brasil), no golfo de Gasconha (baía de Biscaia-Europa), com manifestações cutâneas e achados histopatológicos muito similares às encontradas no homem. O artigo objetiva abordar características do fungo e sua taxonomia, e aspectos históricos, ecoepidemiológicos, clínicos, imuno-histoquímicos, histopatológicos, ultra-estruturais e terapêuticos.

Palavras-chave : Doença granulomatosa crônica; Micoses; Quelóide.

        · resumo em inglês     · texto em português     · pdf em português

 

 

 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0365-05962007000500010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos