-
Esta página já teve 133.104.678 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.663 acessos diários
home | entre em contato
 

Pneumologia/Pulmão

Bronquiectasia e fisioterapia desobstrutiva: ênfase em drenagem postural e percussão

08/04/2008


Bronchiectasis and clearence physiotherapy: emphasis in postural drainage and percussion

  Neuseli Marino Lamari1, Ana Leticia Quinalha Martins2, Janine Vieira Oliveira3, Laís Carvalho Marino4, Nelson Valério5
  Páginas: 203 a 210
 
Descritores: Doenças respiratórias. Bronquiectasia, reabilitação. Drenagem postural. Postura. Técnicas de fisioterapia.
Descriptors: Respiratory tract diseases. Bronchiectasis, rehabilitation. Drainage, postural. Posture. Physical Therapy Techniques.


Resumo:

Bronquiectasia consiste em dilatação anormal, permanente e irreversível de brônquios e bronquíolos, com infecções recorrentes, inflamações, hipersecreção e redução da limpeza mucociliar. Acomete predominantemente o sexo feminino, entre 28 e 48 anos de idade e afeta com maior freqüência os lobos inferiores bilateralmente. Manifestações clínicas da doença são a tosse crônica, febre e expectoração volumosa, purulenta, com odor fétido. Etiologia é inespecífica e representada pelo estádio final de diversos processos patológicos. Pode ser classificada em cilíndrica, varicosa e sacular, e ainda, em localizada e multissegmentar. Drenagem postural e percussão são técnicas desobstrutivas usuais na prática clínica diária, no entanto, há escassez de estudos comparativos enfatizando-as com amostras populacionais e recursos metodológicos. Tomando por base as considerações, teve-se como objetivo verificar a eficácia da drenagem postural e da percussão na higiene brônquica de pacientes bronquiectásicos, bem como seus efeitos e associação com outras técnicas apontadas pela literatura atual. Os principais achados comprovaram que a drenagem postural e a percussão são efetivas na mobilização da secreção pulmonar, uma vez que aumentam a velocidade do muco transportado, melhoram a função pulmonar e as trocas gasosas. A efetividade requer ajuda de um profissional, o que pode dificultar a prática clínica diária. Por esta razão, fisioterapeutas têm selecionado técnicas que propiciem independência ao paciente.

Abstract:

Bronchiectasis consists of abnormal, permanent and irreversible dilation of bronchi and bronchia, with recurrent infections, inflammation, hypersecretion and reduction of mucus clearance. It predominantly affects women of between 28 and 48 years old and more frequently affects the inferior lobes. Clinical manifestations are chronic cough, fever and voluminous expectoration, with a fetid odor. The etiology is unspecific and is considered the final stage of diverse pathological processes. It can be classified in cylindrical, varicose and cystic, and also in respect to located and whether it affects multiple segments. Postural drainage and chest clapping are commonly used clearence however, there are few published comparative population studies or reviews of techniques. In this context, this study aimed at evaluating the efficaciouness of postural drainage and chest clapping on bronchus clearence in bronchiectasis patients and to compare the effects and associations of these techniques with others reported in the literature. Recent research reported that postural drainage and chest clapping are effective therapies to mobilize pulmonary secretions as they increase the velocity of mucus transportion, improving pulmonary function and gas exchange. This requires the assistance of a professional, which can make the necessary daily treatment difficult. For this reason physiotherapists have been choosing techniques that give more independence to patients.

http://www.rbccv.org.br/detalhe_artigo.asp?id=545

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos