gastronomia -
Esta página já teve 132.556.416 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.698 acessos diários
home | entre em contato
 

gastronomia

Conheça mais sobre o Shimeji

12/04/2008

 

INTRODUÇÃO

O cultivo de Pleurotus pode ser feito em tronco (da mesma forma descrita para o Shiitake), ou em casas de cultivo com uso de serragem, palhas de capim, bagaço de cana etc... como substrato. Neste segundo sistema vem sendo feito com muito êxito, e com produtividade muito superior ao sistema de troncos.


Esse sistema de cultivo possui muitas vantagens, pois o período de cultivo é mais curto, a produção é estável, e o cultivo pode estender pelo ano todo. Para este cultivo são utilizados potes de vidro ou plástico, caixas e sacos plásticos. Neste texto explicaremos o sistema de cultivo em pote de vidro ou plástico.

Preparação do substrato:

Serragem: a preferencia é para serragem de árvores de folhas largas ou folhas aciculares. Dependendo do tipo de árvore a serragem pode conter substancias resinosas, solúveis ou inibidoras do crescimento. Por isso, antes de sua utilização, a serragem deve ser deixada ao ar livre e exposta por longo período a chuva, orvalhos e raios solares, para que as substancias danosas se decomponham e se percam. Farelo: existem farelos de arroz, milho, trigo etc., o mais utilizado é o farelo de arroz. Contudo o farelo de milho e o de trigo faz aumentar a produção, além de melhorar a qualidade do cogumelo. A este exemplo utilizamos o farelo de arroz, nele misturando 2 a 3 partes de farelo de milho e trigo.

Mistura do substrato: a combinação do farelo e da serragem deve ser feita na proporção de 1:4, em termos de volume, mais água até atingir umidade de 62 a 65 %. Esta umidade deve ser alcançada na serragem pura. A densidade estará correta quando num recipiente com capacidade de 1 litro, o conteúdo pesar de 400 a 430 gr. Mas o padrão é que esse recipiente
contenha 600 gr. O pH deve estar entre 6,8 e 7.

Esterilização: - podemos dizer que a esterilização é a chave do sucesso desse cultivo.

Ela pode ser feita de duas formas :

  • em autoclave a 1,0 atm. de pressão e temperatura de 120 C por 1,5 horas, tomando ocuidado para que a temperatura não se eleve demasiadamente, pois as substância nutritivas podem sofrer alterações;

  • em câmaras de esterilização a pressão normal com vapor d' água a temperatura chega a 100 C por 5 horas contados a partir do momento em que for atingido os 100 C, tomando cuidado para que a temperatura não abaixe durante a esterilização. Não se deve colocar excesso de potes na câmara, pois pode ocorrer irregularidade na esterilização.

Inoculação: Terminada a esterilização dos potes, quando a temperatura interna abaixar para 20 C, realiza-se a inoculação das "sementes" em condições estéreis, já citada no cultivo do Shiitake em serragem. Um litro deve ser dividido em 50 potes.

Incubação: passado 4 a 5 dias pode haver um acréscimo na temperatura do substrato de 3 a 5 C, acima da temperatura ambiente, e que 40 C por 48 horas ocorre morte do micélio. Assim para permitir que o micélio possa desenvolver uniformemente, o ambiente deve manter temperaturas de 18 a 20 C. Agora é muito importante que o substrato esteja a 25 a 30 C.

Periodicamente deve-se renovar o ar do recinto. A baixa umidade pode desidratar a superfície do substrato, por outro lado, a alta umidade facilita o surgimento de bactérias nocivas, de modo que o recinto deve ser mantido entre 65 a 75 %. Em condições normais com 25 dias de semeados, o pote estará pronto para ser induzido a produção.

Indução: para que os potes tenham uniformidade no crescimento, realiza-se uma raspagem na superfície do substrato tornando-a plana. Logo depois, preenche o pote com água até sua borda. Passada 2 a 3 horas, retira-se água, tampa-se o recipiente, para que a superfície não se resseque e mantenha-o a temperatura de 13 a 16 . 5 a 7 dias após a raspagem inicia-se a formação de primórdios, então abra o recipiente, e aumente a umidade relativa para 90 %. Daqui para diante os cogumelos exigem muita ventilação de ar fresco. A falta de ventilação pode resultar na não abertura do chapéu, na formação de cogumelos compridos, ou no surgimento de ferrugem (avermelhamento e fenecimento).

Colheita: Depois de 7 dias os cogumelos estarão prontos para a colheita, quando o chapéu estiver de 1 a 1,5 cm de diâmetro. Após a colheita retira-se a serragem da base, e acondiciona-se os fungos em bandejas, em porções de 100 a 200 gr, para a comercialização.

CULTIVO EM PALHAS, BAGAÇO DE CANA DE AÇUCAR.

Preparação do substrato: molha-se a palha ou bagaço até 70 % de umidade, e adicionamos farelo de arroz ou de algodão na base de uns 10 % do peso de bagaço ou palha e misturando-o muito bem. Quanto mais rico em farelo, maior é a produção. Em contra partida maiores são os cuidados a serem tomadas a fim de evitar as contaminações, pois os riscos de infecção desta aumentam.

Pasteurização: este substrato deverá ser levado ao túnel de pasteurização, onde receberá tratamento a vapor d' água, para elevar a temperatura do composto até 90 C por umas 10 a 12 horas. Logo após, deixar a temperatura abaixar sozinha, até 30 C, para executar a semeaduras.

Semeadura: o composto deverá ser ensacado com porções de 7 a 10 kg e receber "sementes" numa quantidade de 2 a 4 % sobre o peso de composto. Se o composto estiver bem rico em farelos há de se aumentar a quantidade de sementes, assim faremos com que o Pleurotus cresça mais rápido do que as contaminações. Os sacos deverão ser amarrados em sua boca, e colocados nas prateleiras.

Incubação: os sacos devem ser colocados em prateleiras, onde ficarão em fase de colonização por 25 a 40 dias. Somente após esse período o composto estará completamente branco (coloração provocada pelo crescimento do micélio)

Indução e Frutificação: Faz-se então vários cortes no saco plástico, de 2 cm de comprimento, por onde apareceram os cogumelos, num prazo de 1 a 2 semanas.

Colheita: após 4 dias a contar do início da brotação, eles estarão grandes o suficiente para serem colhidos, torcendo a base do "pé" do cogumelo ou do cacho se for o caso.

É comum efetuar um toalete no cogumelo cortando na base do pé do cogumelo para eliminar uma parte que fica suja com composto.

 

Fonte:

 

http://www.cardoncello.com.br/index.php?pg=shimeji

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos