-
Esta página já teve 135.292.986 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.661 acessos diários
home | entre em contato
 

Obesidade:Adulto/Infantil/Bariátrica

Obesidade mórbida em mulheres - Estilos alimentares e qualidade de vida

05/06/2008

Archivos Latinoamericanos de Nutrición
ISSN 0004-0622 versión impresa

 
 
 
 

Resumen

NOGUEIRA DE ALMEIDA, Graziela Aparecida, LOUREIR0, Sonia Regina y DOS SANTOS, José Ernesto. Obesidade mórbida em mulheres - Estilos alimentares e qualidade de vida. ALAN, dic. 2001, vol.51, no.4, p.359-365. ISSN 0004-0622.

A obesidade mórbida tem sido amplamente estudada em função de sua incidência e por suas conseqüências à saúde. Estudos têm destacado como variáveis relevantes os estilos alimentares e a qualidade de vida. Objetiva-se investigar os estilos alimentares e a qualidade de vida de mulheres com obesidade mórbida, pacientes do Ambulatório de Distúrbios de Conduta Alimentar do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Foram sujeitos 60 mulheres, sendo 30 obesas (Índice de Massa Corporal - IMC>40 kg/m²) e 30 não-obesas (IMC entre 20 e 25 kg/m²). Procedeu-se à aplicação de uma entrevista semi-estruturada, do Questionário Holandês de Comportamento Alimentar e do Exame de Saúde após tradução para a língua portuguesa e adaptação dos mesmos. Os dados foram cotados e quantificados, procedendo-se à comparação dos grupos através do Teste de Mann-Whitney. Os grupos diferiram significativamente quanto às subescalas alimentação restrita (p<0.001) com valores inferiores para o grupo de obesas, e alimentação emocional (p<0.01) com valores superiores para o grupo de obesas, não tendo se diferenciado quanto à alimentação externa. Também diferiram quanto às limitações físicas e sociais (p<0.001), à presença de indicadores emocionais (p<0.001) e ao estado geral de saúde (p<0.001), em todas as categorias com valores superiores para o grupo de obesas, caracterizando maior dificuldade. Conclui-se que: a) os três estilos alimentares parecem contribuir para explicar a dificuldade quanto ao controle alimentar, sem contudo terem um caráter exclusivo na caracterização da obesidade; b) as mulheres morbidamente obesas apresentaram maior comprometimento na qualidade de vida, bem como percepção adequada quanto aos prejuízos relativos às condições de saúde, podendo ser este um indicador favorável à abordagem terapêutica

Palabras llave: Obesidade; alimentação; qualidade de vida.

        · resumen en inglés     · texto en portugués


 

 Archivos Latinoamericanos de Nutrición

 

http://www.scielo.org.ve/scielo.php?pid=S0004-06222001000400006&script=sci_abstract

 

 



IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos