Ginecologia/Mulher -
Esta página já teve 132.442.583 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.709 acessos diários
home | entre em contato
 

Ginecologia/Mulher

Prevalência do HPV em mulheres rastreadas para o câncer cervical

11/06/2008

Revista de Saúde Pública

 

Rev. Saúde Pública vol.42 no.1 São Paulo Feb. 2008

doi: 10.1590/S0034-89102008000100016 

ARTIGOS ORIGINAIS

 

Prevalência do HPV em mulheres rastreadas para o câncer cervical

 

 

Cristina Helena RamaI; Cecilia Maria Roteli-MartinsI; Sophie Françoise Mauricette DerchainII; Adhemar Longatto-FilhoIII; Renata Clementino GontijoII; Luís Otávio Zanatta SarianII; Kari SyrjänenIV; José Mendes AldrighiV

IHospital Leonor Mendes de Barros. São Paulo, SP, Brasil
IIDepartamento de Tocoginecologia. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP, Brasil
IIIDepartamento de Patologia. Universidade do Minho. Braga, Portugal
IVDepartment of Oncology and Radiotherapy. Turku University Hospital. Turku, Finland
VDepartamento de Saúde Materno-Infantil. Faculdade de Saúde Pública. Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil

Correspondência | Correspondence

 

 


RESUMO

OBJETIVO: Analisar a prevalência da infecção genital por papilomavírus humano (HPV) de alto risco por faixa etária e fatores associados.
MÉTODOS: Estudo transversal com amostra de 2.300 mulheres (15–65 anos) que buscaram rastreamento para o câncer cervical entre fevereiro de 2002 e março de 2003 em São Paulo e Campinas, estado de São Paulo. Aplicou-se questionário epidemiológico e realizou-se coleta cervical para citologia oncológica e teste de captura híbrida II. As análises estatísticas empregadas foram teste de qui-quadrado de Pearson e análise multivariada pelo método forward likelihood ratio.
RESULTADOS: A prevalência total da infecção genital por HPV de alto risco foi de 17,8%, distribuída nas faixas etárias: 27,1% (<25 anos), 21,3% (25–34 anos), 12,1% (35-44 anos), 12,0% (45–54 anos) e de 13,9% (55–65 anos). Participantes com maior número de parceiros sexuais durante a vida apresentaram maior freqüência da infecção. Relacionamento estável, idade de 35 a 44 anos e ex-fumantes foram associados à proteção da infecção. A infecção genital por HPV de alto risco ocorreu em 14,3% das citologias normais, em 77,8% das lesões escamosas de alto grau e nos dois (100%) casos de carcinoma.
CONCLUSÕES: A prevalência da infecção genital por HPV de alto risco na amostra estudada foi alta. Houve predomínio de casos abaixo dos 25 anos e tendência a um novo aumento após os 55 anos, com maior freqüência naqueles com maior número de parceiros sexuais durante a vida.

Descritores: Infecções por Papillomavirus, epidemiologia. Neoplasias do colo do útero, prevenção e controle. Fatores de risco. Estudos transversais.  

 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102008000100016

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos