Infecto-contagiosas/Epidemias - Alerta permanente para os viajantes sobre a Febre Amarela
Esta página já teve 133.120.798 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.661 acessos diários
home | entre em contato
 

Infecto-contagiosas/Epidemias

Alerta permanente para os viajantes sobre a Febre Amarela

26/06/2008

FEBRE AMARELA,
um alerta permanente para os viajantes

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Conforme informado pelos boletins do Ministério da Saúde, até o dia 24/01/2008, a situação epidemiológica é:
- 40 notificações de casos suspeitos de febre amarela silvestre.
- 19 casos foram confirmados
- 10 destes evoluíram para óbito
- 9 destes tiveram cura
- 16 casos foram descartados para febre amarela
- 5 permanecem em investigação.

Os prováveis locais de infecção dos casos confirmados ocorreram em áreas silvestres de Goiás, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.



Segundo nota técnica N.º 07/2006 do Ministério da Saúde a Febre Amarela Silvestre (FAS) vem se apresentando de forma inusual de 1999 a 2003 com surtos em humanos e epizootias em primatas não humanos além das fronteiras das áreas delimitadas como endêmica e de transição. Os indivíduos infectados eram na maioria jovens do sexo masculino não vacinado que residiam próximo aos ambientes silvestres, além de turistas e migrantes que adentraram nestes ambientes.


Onde se corre risco de pegar febre amarela?

No Brasil, os locais de risco são as regiões de matas e rios das seguintes regiões: todos os Estados da Região Norte e Centro-Oeste, bem como parte da Região Nordeste (Estado do Maranhão, sudoeste do Piauí, oeste e extremo-sul da Bahia), Região Sudeste (Estado de Minas Gerais, oeste de São Paulo e norte do Espírito Santo) e Região Sul (oeste dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). Ver mapa

As pessoas que moram nestas regiões, ou aqueles que irão viajar para estes locais devem tomar a vacina, caso ainda não tenham feito ou o fizeram há mais de dez anos. Verifique a lista completa dos municípios para os quais é recomendado a vacinação.




Legenda: Área endêmica: área de risco - mantém circulação do vírus na natureza; Área de transição: corresponde à área onde no início do século havia intensa circulação do vírus amarílico entre os hospedeiros naturais; área indene: área sem risco;

A febre amarela é uma doenca causada por um vírus (flavivírus), transmitido por picada de mosquito Aedes aegypti, que tem período de incubação de 3 a 6 dias e se caracteriza por febre, cefaléia, náuseas, vomitos, icterícia, hemorragias, dores musculares e apresenta alta taxa de mortalidade.

A doenças ocorre em surtos na América Latina e Africa (vide mapas abaixo):


O melhor modo de prevenção é a vacinação dos humanos suscetíveis à doença, se encaixam nesta categoria :

- todos os indivíduos que moram ou irão viajar para as áreas de risco (endêmica e transição)

- todos os indivíduos que irão viajar para países que exigem certificado internacional de vacinação para febre amarela

A vacina deve ser aplicada dez dias antes de sua viagem e repetida a cada 10 anos e é aplicada gratuitamente nos postos de saúde.

Está contra-indicados a sua aplicação em crianças com menos de 6 meses de idade, uso de terapia ou doenças imunossupressora (baixa de imunidade), e gestantes. Nestes casos o indivíduo deve procurar orientação médica para verificar o risco/benefício da realização da vacina e medidas profiláticas para controle de picada do mosquito.

Para viagens internacionais é necessário efetuar a troca do cartão de vacinação,de cor branca, pelo Certificado Internacional de Vacinação-CIV, de cor amarela em Postos da ANVISA, portos, aeroportos, passagens de fronteiras ou Sedes da Coordenação em todo o território nacional.


Países que exigem Certificado de Vacinação para Febre Amarela

Afeganistão
Albânia
África do Sul
Angola
Anguilla
Antigua e Barbados
Antilhas Holandesas
Arábia Saudita
Argélia
Austrália
Bahamas
Bangladesh
Barbados
Belize
Benin
Bolívia
Brasil
Brunei
Burkina Faso
Burundi
Butão
Cabo Verde
Camboja
Camarões
Cazaquistão
Chade
China
Colômbia
Congo
Costa do Marfim
Djibuti
Dominica
Egito
El Salvador
Equador
Eritréia
Etiópia
Fiji
Filipinas
Gabão
Gâmbia
Gana
Granada
Grécia
Guadalupe
Guatemala
Guiana
Guiana Francesa
Guiné
Guiné Bissau
Guiné Equatorial
Haiti
Honduras
Iêmen
Indonésia
Índia
Ilha Pitcairn
Ilha Reunião
Ilhas Salomão
Ilhas Seychelles
Iraque
Jamaica
Jordânia
Kiribati
Laos
Lesoto
Líbano
Libéria
Líbia
Madagascar
Malásia
Malaui
Maldivas
Mali
Malta
Maurício
Mauritânia
Moçambique
Myanma
Namíbia
Nauru
Nepal
Nicarágua
Níger
Nigéria
Niue

Nova Caledônia
Omã
Palau
Panamá
Papua Nova Guiné
Paquistão
Paraguai
Peru
Polinésia Francesa
Portugal
Quênia
Republica Centro Africana
Ruanda
Samoa
Samoa Americana
Santa Helena
Santa Lúcia
São Cristóvão e Névis
São Tome e Príncipe
São Vicente e Granadinas
Serra Leoa
Senegal
Singapura
Síria
Ski Lanka
Somália
Suazilândia
Sudão
Suriname
Tailândia
Tanzânia
Togo
Tonga
Trinidad e Tobago
Tunísia
Uganda
Vietnã
Zâmbia
Zaire
Zimbabue

 

Fonte: http://www.who.int/ith/

Apesar do informativo ser válido para alertar sobre muitos aspectos de diversas viagens, é importante ressaltar que apenas uma consulta com um especialista poderá estabelecer com maior precisão todos os cuidados necessários para cada destino e cada viajante.

 

Fonte:

http://www.jota3w.com.br/clientes/dasa/2008/fevereiro/extra/informe_dasa_sp.htm

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos