-
Esta página já teve 133.044.975 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.670 acessos diários
home | entre em contato
 

Obesidade:Adulto/Infantil/Bariátrica

Cirurgia bariátrica nos extremos de idade

07/07/2008

Revista da Associação Médica Brasileira

 

Rev. Assoc. Med. Bras. v.53 n.5 São Paulo set./out. 2007

doi: 10.1590/S0104-42302007000500004 

PANORAMA INTERNACIONAL
CLÍNICA CIRÚRGICA

 

Cirurgia bariátrica nos extremos de idade

 

 

Elias Jirjoss Ilias

 

 

A segurança e a eficácia da cirurgia bariátrica em adolescentes tem mudado muito. O objetivo dos autores foi determinar, a curto prazo (30 dias) e a longo prazo, os resultados da cirurgia bariátrica em pacientes com 60 anos ou mais e menores de 18 anos. Entre 1985 e 2004, foram operados 1834 pacientes, sendo a grande maioria submetida à derivação gástrica em Y de Roux. Foram identificados 127 pacientes com mais de 60 anos e 12 com menos de 18 anos. Entre todos estes pacientes foi aplicado um questionário.

Nos pacientes com mais de 60 anos, a mortalidade nos primeiros 30 dias após a cirurgia foi de 0,7%, a morbidade foi de 14% e a mortalidade, em cinco anos, foi de 5%. A queda no IMC desta faixa etária variou entre médias de 46 para 33, com 51% de desaparecimento das comorbidades associadas à obesidade, e melhora subjetiva de 89% quanto à satisfação do paciente.

Nos pacientes com 18 anos ou menos não houve mortes nem complicações importantes. O IMC médio caiu de 55 para 36, em quatro anos de seguimento. O desaparecimento das comorbidades relacionadas à obesidade foi de 82% e a auto-satisfação foi de 83%. A mortalidade em cinco anos foi de 5% neste grupo.

Os autores concluíram que a cirurgia bariátrica é segura e efetiva nos extremos de idade.

 

Comentário

A indicação da gastroplastia em pacientes idosos e muito jovens tem sido cada vez mais freqüente. Não devemos levar em conta apenas a idade, mas sim as comorbidades e a expectativa de vida de cada paciente.

No estudo em questão, acreditamos que a maior mortalidade e morbidade nos idosos deve ser atribuída à menor reserva funcional deste grupo etário, além das comorbidades,, como o diabetes, já terem deixado seqüelas importantes nestes pacientes.

Os jovens possuem mais reserva funcional e poucas lesões orgânicas já estabelecidas pela obesidade, portanto estão sujeitos a menos complicações no pós-operatório.

A cirurgia da obesidade nestes grupos pode ser indicada, porém sempre deve-se avaliar caso por caso.

 

Referência

Fátima J, Houghton M, Iqbal CW, Thompson GB, Que FL, Kendrich ML, et al. Bariatric surgery at the extreme of age. J Gastroint Surg. 2006; 10(10):1392-6.

 

 

 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302007000500004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos