Alternativa/Fitoterapia/Acupuntura -
Esta página já teve 132.461.024 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.704 acessos diários
home | entre em contato
 

Alternativa/Fitoterapia/Acupuntura

Avaliação da atividade antimicrobiana de extratos vegetais

29/10/2008

Revista Brasileira de Farmacognosia

 

Rev. bras. farmacogn. vol.15 no.4 João Pessoa Oct./Dec. 2005

doi: 10.1590/S0102-695X2005000400010 

ARTIGO

 

 

 

Evaluation of the antimicrobial activity of vegetal extracts

 

 

D.C. MichelinI; P.E. MoreschiII; A.C. LimaI; G.G.F. NascimentoIII; M.O. PaganelliIII; M.V. ChaudIII, *

IDepartamento de Fármacos e Medicamentos, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP, Rodovia Araraquara - Jaú, Km 1, 14801-902, Araraquara, SP, Brasil
IIDepartamento de Fármacos e Medicamentos, Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP, Rodovia do Café, S/N, 15500-816, Ribeirão Preto, SP, Brasil
IIIFaculdade de Ciências da Saúde, Curso de Farmácia, Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP, Rodovia do Açúcar, Km 157, 13400-911, Piracicaba, SP, Brasil

 

 


RESUMO

Especialmente nas últimas décadas, inúmeros esforços têm sido dirigidos para conferir às plantas seu real papel e valor na terapia. Neste estudo foi avaliada a atividade antimicrobiana de extratos secos de Artemisia absinthium L. (losna), Mentha pulegium L. (poejo), Punica granatum L. (romã), Xanthosema violaceum Schott (taioba) e Syzygium cuminii L. (jambolão). Para avaliar a atividade antimicrobiana foi realizado o teste de difusão em ágar, com 15 diferentes microrganismos, utilizando discos impregnados com as dispersões aquosas dos extratos vegetais. A Concentração Inibitória Mínima (CIM) foi determinada para os extratos que apresentaram atividade inibitória. Os resultados mostraram que os extratos de X. violaceum e S. cuminii inibiram, respectivamente, 8 e 6 bactérias. Conclui-se que os extratos de X. violaceum e S. cuminii são capazes de inibir expressivamente o crescimento microbiano.

Unitermos: Artemisia absinthium, Mentha pulegium, Punica granatum, Syzygium cuminii, Xanthosema violaceum, atividade antimicrobiana.


ABSTRACT

In the last decades, innumerable efforts have been directed to confer to the plants its real value in the therapy. The aim of this study was to evaluate the antimicrobial activity of dry extracts of Artemisia absinthium L. (wormwood), Mentha pulegium L. (poejo), Punica granatum L. (pomegranate), Xanthosema violaceum Schott(taro) and Syzygium cuminii L. (jambolan). To evaluate the antimicrobial activity the diffusion test in agar was carried through, with 15 different microorganisms, using discs impregnated with aqueous dispersions of the vegetal extracts. For those extracts that had presented inhibitory activity, the calculation of Minimum Inhibitory Concentration was carried out (CIM). The results had shown that the extracts of X. violaceum and S. cuminii had inhibited 8 and 6 bacteria, respectively. What leads to the conclusion that the extracts of X. violaceum and S. cuminii are capable to inhibit the microbial growth.

Keywords: Artemisia absinthium, Mentha pulegium, Punica granatum, Syzygium cuminii, Xanthosema violaceum, antimicrobial activity.

 

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-695X2005000400010&script=sci_arttext&tlng=pt

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos