Diabete/Diabetes -
Esta página já teve 135.258.439 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.664 acessos diários
home | entre em contato
 

Diabete/Diabetes

Níveis plasmáticos de osteoprotegerina predizem a mortalidade cardiovascular

30/10/2008
 

Níveis plasmáticos de osteoprotegerina predizem a mortalidade cardiovascular e a mortalidade por todas as causas e a deterioração da função renal em pacientes com diabetes tipo 1 e nefropatia

São Paulo, 17 de Outubro de 2008

O peptídeo relacionado ao osso osteoprotegerina é produzido pelas células vasculares e está envolvido no processo de calcificação vascular. Pesquisadores dinamarqueses publicaram, recentemente, no Diabetologia, um estudo em que procuraram investigar o valor preditivo dos níveis plasmáticos de osteoprotegerina em relação à mortalidade, a eventos cardiovasculares e a deterioração da função renal em pacientes com diabetes tipo 1.

 

Foi realizado um estudo de acompanhamento observacional, prospectivo, que incluiu 397 pacientes diabéticos tipo 1 com nefropatia diabética recém-diagnosticada (243 homens; idade: 42,1 + 10,6 anos; duração do diabetes: 28,3 + 9,9 anos; ritmo de filtração glomerular: 67 + 28 mL/min/1,73 m²) e um grupo de 176 pacientes com diabetes tipo 1 de longa data e normoalbuminúria persistente (105 homens; idade: 42,6 + 9,7 anos; duração do diabetes: 27,6 + 8,3 anos).

 

O período de acompanhamento mediano (variação) foi igual a 11,3 (0,0 – 12,9) anos. Entre pacientes com nefropatia diabética, indivíduos com elevados níveis de osteoprotegerina (quarto quartil) apresentaram mortalidade por todas as causas significativamente maior que os baixos níveis (primeiro quartil) (razão de risco [HR] ajustada por covariáveis = 3,00 [1,24 – 7,27]). Elevados níveis de osteoprotegerina também foram preditores de mortalidade cardiovascular (HR ajustado por covariáveis = 4,88 [1,57 – 15,14]). Além disso, pacientes com elevados níveis de osteoprotegerina apresentaram risco significativamente maior de progressão para doença renal em estágio terminal que pacientes com baixos níveis de osteoprotegerina (HR ajustado para covariáveis = 4,32 [1,45 – 12,87]). Pacientes com altos níveis plasmáticos de osteoprotegerina apresentaram alta taxa de declínio do ritmo de filtração glomerular.

 

Os pesquisadores concluíram que elevados níveis de osteoprotegerina são preditores de mortalidade cardiovascular e de mortalidade por todas as causas em pacientes com nefropatia diabética. Além disso, elevados níveis de osteoprotegerina são preditores da deterioração da função renal, culminando em doença renal em estágio terminal.

Uma resenha de Plasma osteoprotegerin levels predict cardiovascular and all-cause mortality and deterioration of kidney function in type 1 diabetic patients with nephropathy - Diabetologia 2008;51:2100-2107

 

Fonte:

 

http://www.medicalservices.com.br/naologadas/noticias_cientificas/exibe.php?topo=http://www.medicalservices.com.br/naologadas/noticias_cientificas/

tp_frm/car.htm&arquivo=http://www.endoclub.com.br/materias/3901-4000/3984.html

 

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos