- Abiu- sapotaceae
Esta página já teve 132.571.702 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.697 acessos diários
home | entre em contato
 

Nutrologia/Alimentos/Nutrição

Abiu- sapotaceae

16/12/2008

POUTERIA BULLATA E POUTERIA CAIMUTO

NOME POPULAR: Abiurana, Guapeva (P. bullata) e Abiu ou caimito (P. caimito)

SAPOTACEAE

 

Abiurana (P. bullata)

 

Abiú (P. caimito)

 

NOME INDIGENA: Abiú vem do tupi-guarani e significa “Fruta com ponta” e abiu + rana significa “fruta semelhante ao abiu”.

 

Origem: O Abiú é originário da Floresta amazônica, até o Mato Grosso do Norte e na costa litorânea de Pernambuco ao Rio de Janeiro. Já a Abiurana ocorre na Mata atlântica do Sul, na floresta   semidecidua (que perde a folha em certa época do ano) de São Paulo até o Paraná, aparecendo também no Cerrado de Minas Gerais e Sul de Goiás, no Brasil.

 

Características: O abiu é uma arvore perenifólia, lactescente com tronco circular de coloração castanho escura, com copa arredondada e folhas simples, glabras com 6 a 15 cm de comprimento agrupadas na extremidade dos ramos. Já a abiurana é uma arvore semidecidua (que perde as folhas no inverno) com tronco canelado (com ondulações salientes) de cor castanho ferruginea e copa aberta em forma de taça; as folhas de 10 a 25 cm de comprimento, glabras na face superior e pubescente (coberta de pelos na face inferior). Ambas as arvores crescem de 6 a 20 m de altura, dependendo do ambiente. As flores são pequeninas, brabcas e aparecem nos ramos desnudados abaixo das folhas. Os frutos do abiu são glabros e com um pequeno acumem ou ponta, enquanto que os frutos da Abiurana são pubescentes (coberto de pelos) e arredondados.

 

Plantado no Sitio Frutas Raras em: O abiu foi plantado em outibro de 2.000 e a Abiurana foi plantada em agosto de 2.001. A abiruina floresceu em 2.006 e frutificou a primeira vez em 2.007.

 

Dicas para cultivo: Ambas as espécies podem ser cultivadas em climas tropicais e subtropicais. Adapta-se a qualquer altitude e solo, mais é necessário enriquecer bastante o solo com matéria orgânica e cobertura morta, pois a planta só em encontrada na natureza em terrenos férteis e úmidos. A abiurana resiste bem a secas e a quedas de temperaturas de até -4 graus, enquanto que o abiu não resiste a geadas com temperatura abaixo de zero grau.

 

Mudas: as sementes frescas germinam em 30 a 60 dias, desse modo as plantas iniciam frutificação com 6 a 8 anos. A muda tem crescimento lento, aprecia sombreamento na faze inicial (até o segundo ano) e desenvolve-se melhor quando irrigada com freqüência.

 

Plantando: Podem ser plantados em qualquer tipo de solo, enriquecido com matéria orgânica e com pH por volta de 5,6. Espaçamento 6 x 6 m (para o Abiu) em lugares e 8 x 8 m (para abuirana). A primeira espécie é mais indicada para climas livre de geadas e a segunda espécie pode ser cultivada desde o Norte do Brasil até o Rio Grande do Sul. As covas devem ter 40% de matéria orgânica, 2 kg de calcário e 1 kg de cinzas. Após o plantio irrigar com 20l de água por semana nos primeiros 3 meses, depois, somente quando não tiver chovido por 30 dias.

 

Cultivando: Fazer apenas podas de formação, e eliminar os galhos que estiverem mal formados ou nascerem para dentro da copa, permitindo que aja espaço entre os galhos do meio para penetração do sol. Adubar com composto orgânico, pode ser (8 litros) cama de frango + 50 gr de N-P-K 10-10-10 dobrando essa quantia a cada ano até o 4ª ano. Distribuir os nutrientes à 5 cm de profundidade, em círculos distanciados à 50 cm do tronco.

 

Usos: os frutos são consumidos apenas in-natura. A Arvore é ornamental.

 

Floração no sitio Frutas Raras: Abiurana – novembro de 2006.

Frutificação no sitio Frutas Raras: Abiurana – fevereiro de 2.007.

 

Do excelente site:

 

http://frutasraras.sites.uol.com.br

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos