Curiosidades da Dra Shirley - Algumas dicas para curtir uma boa pescaria no Pantanal
Esta página já teve 133.091.196 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.665 acessos diários
home | entre em contato
 

Curiosidades da Dra Shirley

Algumas dicas para curtir uma boa pescaria no Pantanal

08/01/2009
Aqui você confere algumas dicas para curtir uma boa pescaria no Pantanal.

ISCAS NATURAIS MAIS USADAS:
O tipo de isca vai depender do tipo de peixe procurado e da cor da água.
Se estivermos á procura dos grandes peixes de couro e a água estiver suja, a isca será a tuvira ou as chamadas iscas brancas como a sardinha, o piau-3-pintas, lambari, mas tem que estar vivas.
Se a água estiver limpa a isca campea é o minhocuçu.
Para a pesca do dourado é usado as mesmas iscas com exceção do minhocuçu.
O rio Paraguai não dispõe de muitas corredeiras, lugar propício para a pesca do dourado, portanto se faz necessário o conhecimento do piloteiro.
Para a pesca do pacu é usado o caranguejo, mas normalmente ele é pego também no minhocuçu, goiaba e frutinhas que caem na água.

MATERIAL DE PESCA:
VARAS - existem aqueles que preferem as ocas com fibra de carbono por serem mais leves, outros as maciças por serem fortes, mas independente disso devem ser fortes o bastante para aguentarem a pressão de um peixe bruto, são valentes e merecem respeito.
Recomendamos varas de no mínimo 30 libras.
LINHAS - alguns pescadores gostam de usar linhas finas para sentir melhor a briga, porém no Pantanal os peixes fisgados tem o hábito de se esconderem em estruturas naturais enroscando facilmente a linha.
Recomendamos linhas fortes: para peixes de couro 40 libras e para os outros 20 a 30 libras.
ANZÓIS - temos no mercado uma gama muito ampla deste material, é bom sempre termos à mão uma variedade de tamanhos oscilando dos pequenos para captura de iscas até o 8/0.
CHUMBADAS - Normalmente são usadas as do tipo oliva, oscilando dependendo do lugar entre 20 a 60 gramas.
ENCASTOADO - todos os anzóis usados deverão ser encastoados, para evitar o rompimento no ataque das piranhas.

DICAS DE CONFORTO:
Para sua melhor comodidade recomendamos o uso de alguns produtos:
REPELENTE - contra insetos, pois nas primeiras horas da manhã e ao entardecer os mosquitos não dão trégua.
PROTETOR SOLAR - dependendo do seu tipo de pele usar com frequência, pois o sol mesmo fraco incomoda bastante.
ÓCULOS - o seu uso se faz necessário, no percurso até os melhores pontos de pesca, o barco anda em velocidade e o vento pode incomodar, como também insetos ou ciscos nos olhos, nada como a prevenção, um pequeno acidente pode atrabalhar bastante sua pescaria.
CHAPÉU OU BONÉ - eles protegem do sol, como também de insetos, se optar por boné, recomendamos aquele com abas que protegem também o pescoço, se você gostar realmente de pescar, irá começar às 6 horas da manhã e irá terminar somente quando o sol se despedir no horizonte.
CAPA DE CHUVA - em algumas épocas do ano, a chuva é imprevisível, portanto pode chover a qualquer momento, e é bom estar previnido, reserve um cantinho na sua tralha para este item.
MÁQUINA FOTOGRÁFICA OU FILMADORA - alguns momentos em nossas vidas são marcadas em nossas lembranças, recordações de lugares e situações vividas uma única vez. Eternize estes momentos através de uma fotografia ou vídeo. Você não vai se arrepender.

DICAS PARA PESCA PANTANEIRA
PESCANDO COM PIRANHAS
Quando estiver pescando Dourados, com iscas vivas em rios infestados de piranha, você deve proceder da forma indicada abaixo:
As iscas indicadas para este tipo de pescaria são peixes vivos, como piraputangas e corimbatas de até 15 cm de comprimentos.
Apoite seu barco em um trecho do rio onde se observa que Dourados e Pintados estão atacando cardumes de piraputangas ou curimbatas.
Mantenha a isca dentro do viveiro do barco, protegidas das piranhas e prontas para serem arremessadas.
Com paciência, espere o Dourado ou Pintado atacar os cardumes de piraputangas e corimbatas no rio, com agilidade arremesse o mais próximo possível de onde você localizou o até do predador.
A probabilidade de que o peixe pegue sua isca é grande, pois sua isca se tornará uma preza fácil.
Caso ele não pegue, com certeza uma piranha vai pegar.

PEGUE AS MAIORES TRAÍRAS
Para pegar traíras grandes, é necessário bater no rio com a vara muitas vezes.
As iscas são os lambaris que geralmente as traíras se alimentam.
Se der tudo certo, você irá pegar as maiores traíras do rio!!!
Boa pescaria!!!

ISCA INFALÍVEL PARA PACU
Pegue alguns coquinhos(seco) de cacho, tire todo fiapo, corte suas extremidades com uma serrinha, fure-os de um lado ao outro de suas extremidades(com uma broca fina) até que passe o anzol pelo furo. Use anzóis para robalo, assim você utilizará apenas uma isca na pescaria toda.
Dica: Conserve os coquinhos em um recipiente com pouca água.
Outra ótima isca para pacú é a acerola. Ela deve estar bem madura, vermelhinha. Isque a acerola colocando-a "dentro" do anzol, onde ficará apoiada na meia-lua do anzol. As acerolas quando descongeladas costumam perder sua firmeza, o que as fazem sair do anzol com maior facilidade. O ideal é obter frutas frescas.

TIRANDO O CHEIRO DE PEIXE DA MÃO
Após você limpar todos os seus peixes, não tem como tirar o cheiro da mão. Então minha dica é para você pegar o pó de café já usado e esfregar na mão por 1 minuto. O cheiro sai todinho!

MORDIDA DE PEIXE
Ao limpar peixes, tome muito cuidado com aqueles que têm dentes, pois mesmo sem as vísceras eles ainda podem morder, principalmente as piranhas!!!

LIMPANDO LAMBARIS
Colocam-se os lambaris pescados em uma bacia grande com água e um pouco de vinagre, deixando por alguns minutos. Depois pega-se aos punhados e esfrega-se nas mãos. Isto soltará todas as escamas.

PARA PEGAR PINTADOS
A melhor isca é o minhocoçu, de preferência de origem mineira. Para pegar um pintado, é indispensável ter paciência.
Em pesqueiros eles costumam ficar bem na borda. Evite muito barulho.

ISCA PARA DOURADOS
Coração de boi cortado em tiras e a rã são exelentes iscas para o dourado.

FRITURA DE OURO
Se você decidir fritar o peixe que pescou ou que comprou, basta juntar um pouco de sal à gordura da fritura e o resultado será um peixe bem mais douradinho e gostoso.

ESPINHOS DE TRAÍRAS
Sempre que você pescar aquelas TRAIRAS, não as deixe morrer só por falta da água. Desta forma, elas ficarão com a carne "repleta" de espinhos.
Cada vez que você tirar uma da água, limpe o mais rápido possível e quando for fazer aquele "fritado" ou "ensopado" você vai perceber que quase não terá espinhos. Só estarão aqueles das nadadeiras e a espinha.

ISCA PARA CURIMBATÁS
É uma isca para pescar os fabulosos curimbas:
Misture água, farinha, queijo(de preferência queijo de bico) e açúcar. Faça vários quadradinhos como nhoque.
Deixe no sol por uns dois ou três dias e depois de ter ficado bem duro estará pronto...
Você deve estar se perguntando: "Mas como se usa essa isca?"
É muito simples:usando um anzol, você deixa uma linha de sobra e nessa linha você amarra as pedrinhas. E aí é só pescar os curimbas. O curimba vem, chupa a isca e a posta de sua vara mexerá, bastando que você fisgue e dê no queixo do criado.

FERRÃO DE BAGRE
As ferroadas das barbatanas laterais de alguns peixes ( bagre, jundiá, pintado, etc.) são muito doloridas.
Para amenizá-la, basta arracar o olho do peixe, furá-lo e passar sobre o ferimento.
É fantástico!

CORTANDO O PEIXE EM FILÉS
Limpe só por fora (barbatanas e escamas); retire a cabeça; faça um corte ao longo do dorso, da cabeça à cauda; com uma faca, separe a espinha da carne; retire a espinha e as víceras; retire a pele com a faca, segurando o peixe pela cauda com firmeza.

ACIDENTE COM ANZOL
Por mais cuidado que o pescador tome, alguns pequenos acidentes, comuns em pescarias, serão inevitáveis e convém que se saiba como proceder para evitar complicações maiores posteriormente.
Os acidentes mais comuns nesse esporte são causados pelos anzóis.
Vez ou outra o pescador acaba se "fisgando" ou ao seu companheiro.
Numa situação dessas o problema maior é retirar o anzol do corpo da pessoa sem aumentar a gravidade do ferimento.
Se a farpa do anzol penetrar na carne ele não poderá ser retirado pelo mesmo lugar por onde entrou sem causar um grande estrago.
A primeira providência é cortar o anzol, ou garatéia, com um alicate de corte.
Feito isso, deve-se procurar um médico para retirá-lo e na impossibilidade de tal, o próprio pescador ou seu companheiro fará isso, do seguinte modo:
Empurra-se a parte que sobrou do anzol até que a ponta deste saia em outro local, ao lado do ferimento original.
Em seguida puxa-se o anzol pela ponta até que seja totalmente retirado.
O ferimento ficará então com duas perfurações, uma por onde entrou o anzol e outra por onde ele saiu, mas em compensação a carne não será dilacerada pela farpa.
Esse local deve então ser limpo, desinfetado e aplicado um curativo.
Mesmo assim, a assistência, o quanto antes possível, de um médico é necessária, para saber se é preciso tomar algum antibiótico ou antitetânica.

TENHA UMA BOA PESCARIA!!!

 

Fonte:

 

http://hotelpesqueirodaodila.com.br/conteudo/pesca/p2_articleid/12

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos