Antienvelhecimento/Longevidade - Envelhecimento ativo
Esta página já teve 132.439.382 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.709 acessos diários
home | entre em contato
 

Antienvelhecimento/Longevidade

Envelhecimento ativo

16/02/2009

O que é envelhecimento ativo,  o

conceito que orienta o Programa AGE

 

 

O envelhecimento rápido da população é uma realidade global, especialmente nos países em desenvolvimento. Para se ter uma idéia, até 2025, o Brasil será o sexto país do mundo em número de idosos, com mais de 30 milhões de pessoas acima dos 60 anos. Se por um lado isso representa um triunfo para a humanidade, por outro significa um grande desafio para governos, organizações não governamentais, setor privado e sociedade civil. O envelhecimento global provocará um aumento nas demandas sociais e econômicas em todo o mundo.

 

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) vem discutindo a questão do aumento da longevidade há mais de uma década, e tem defendido como prioridade a formulação de planos de ação que promovam um envelhecimento saudável e ativo da população. A OMS acredita que a melhor forma de se garantir uma boa saúde para as futuras gerações de idosos é por meio da prevenção de doenças e promoção da saúde, durante todas as fases da vida. Nesse contexto, a instituição criou, no final da década de 90, o conceito do “envelhecimento ativo” e estabeleceu seus fundamentos, os quais vem difundido amplamente entre os países.

 

 

Envelhecimento ativo, na definição da Organização Mundial de Saúde, é o processo de otimização das oportunidades de saúde, participação e segurança, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida à medida que as pessoas ficam mais velhas. Em outras palavras, é manter a autonomia e a independência dos idosos, não só em relação à saúde física, mas nas questões sociais, econômicas, culturais, espirituais e civis. Para isso, é necessário o engajamento de toda a sociedade, e não só dos governantes.

 

 

Metas da Organização Mundial de Saúde

 

 

As metas estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde para a promoção do envelhecimento ativo podem ser divididas com base nos três pilares: 1) saúde; 2) participação; e 3) segurança. Confira:

 

 

1)   Saúde

 

Ø      Prevenir e reduzir a carga de deficiências em excesso, doenças crônicas e mortalidade prematura;

Ø      Reduzir os fatores de risco associados às principais doenças e aumentar os fatores que protegem a saúde durante a vida;

Ø      Desenvolver serviços sociais e de saúde acessíveis, baratos, de alta qualidade e adequados para a terceira idade, que aborde as necessidades e os direitos dos homens e mulheres em processo de envelhecimento;

Ø      Fornecer treinamento e educação para cuidadores formais e informais.

 

 

2)   Participação

 

Ø      Propiciar educação e oportunidades de aprendizagem durante o curso da vida;

Ø      Reconhecer e permitir a participação ativa de pessoas idosas nas atividades de desenvolvimento econômico, trabalho formal e informal e atividades voluntárias, de acordo com suas necessidades individuais, preferências e capacidades;

Ø      Incentivar a participação integral dos idosos na vida familiar e comunitária.

 

 

3)   Segurança

 

Ø      Assegurar proteção, segurança e dignidade aos idosos, através dos direitos e necessidades de segurança social, financeira e física dos idosos;

Ø      Reduzir as desigualdades nos direitos à segurança e nas necessidades das mulheres mais velhas.

 

 

 

 Fonte:

 

http://www.google.com/search?hl=pt-BR&rls=com.microsoft:pt-br:IE-SearchBox&rlz=1I7SKPB&q=conceito+de+envelhecimento&start=10&sa=N

 

 

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos