-
Esta página já teve 134.683.641 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.667 acessos diários
home | entre em contato
 

Câncer/Oncologia/Tumor

Mortalidade por câncer em militares da Marinha do Brasil

14/04/2009

Revista de Saúde Pública

 

Rev. Saúde Pública vol.34 n.4 São Paulo Aug. 2000

doi: 10.1590/S0034-89102000000400010 

Mortalidade por câncer em militares da Marinha do Brasil*
Cancer mortality among service men in the Brazilian Navy

Marlene Silvaa**, Vilma S Santanaa e Dana Loomisb

aInstituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia. Salvador, BA, Brasil. bDepartment of Epidemiology, School of Public Health, University of North Carolina. Chapel Hill, USA

DESCRITORES
Neoplasias, mortalidade#. Militares#. Riscos ocupacionais#. Ocupações.

RESUMO

OBJETIVO:
Verificar se existe excesso na mortalidade por câncer em militares da Marinha do Brasil em comparação com uma população geral de referência e fatores de risco ocupacionais potenciais.

MÉTODOS:
Utilizaram-se dados de mortalidade extraídos de certidões de óbitos e históricos ocupacionais de militares da Marinha do Brasil, de idade acima de 19 anos, no período de 1991 a 1995. A população de referência escolhida foi a do Estado do Rio de Janeiro, onde se concentram 70% dos militares da Marinha.

RESULTADOS:
Razões de mortalidade ajustadas por idade mostraram que câncer de cérebro, próstata e linfomas não Hodgkin foram mais comuns em militares do que na população de referência. A análise de ocupação, restrita ao grupo militar, evidenciou o câncer de cérebro e de fígado em associação com as funções do grupo saúde; cólon-reto com funções dos oficiais da Armada e da administração; e câncer de laringe com o grupo de manutenção e reparos.

CONCLUSÕES:
A mortalidade por tipo de câncer entre os militares da Marinha difere da população geral de referência e se associa a certas ocupações, em cujas populações os fatores de risco para neoplasias necessitam ser avaliados, especificando-se os tipos histopatológicos e também as exposições ocupacionais.

KEYWORDS
Neoplasms, mortality#. Military personal#. Working risks#. Occupations. Mortality rate. ¾ Brazilian Navy Force.

ABSTRACT

OBJECTIVE:
To identify differences in cancer proportionate mortality among male servicemen of the Brazilian Navy when compared to a referent population and to detect potential occupational risk factors.

METHODS:
Cancer proportionate mortality was estimated using death certificates and occupational histories of Brazilian navy servicemen aged 19 or more in the period of 1991 to 1995. The population of Rio de Janeiro (Brazil) was chosen as referent group because this city concentrates 70% of all Navy servicemen.

RESULTS:
Servicemen are more likely to die from brain neoplasm (age-adjusted cancer proportionate mortality ratio - ACPMR=339.27), prostate cancer (ACPMR=135.04), and non-Hodgkin lymphoma (ACPMR=152.28) than the referent population. Health-related occupations show an excess of brain neoplasm (ACPMR=2.7, 95% confidence interval, CI: 1.1-6.5) and liver cancer (ACPMR=2.9; 95% CI: 1.1- 7.8); colon-rectal cancer was higher among officials of the Army Corp and other administrative occupations (ACPMR=2.4, 95% CI: 1.3 -4.5); larynx cancer (ACPMR=2.3, 95% CI; 1.1, 5.0) is more common among men working in maintenance and repair occupations.

CONCLUSIONS:
In this study, servicemen of the Brazilian Navy Force have a distinct cancer mortality profile from the general reference population. Risk factors for cancer need to be further evaluated, by using more specific diagnosis and occupational-related exposure data.

 

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-89102000000400010&script=sci_arttext

 

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos