-
Esta página já teve 132.446.145 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.705 acessos diários
home | entre em contato
 

Notícias da Dra. Shirley

Tire suas dúvidas sobre a Gripe Suína e conheça o plano do governo para enfrentar a doença

11/05/2009

Tire suas dúvidas sobre a Gripe Suína e conheça o plano do governo para enfrentar a doença

Oito unidades são referências para atendimento de possíveis casos

Atualizada dia 4, às 19h10


A Secretaria da Saúde definiu um plano de emergência contra a gripe suína. O objetivo é mobilizar a rede para identificar casos suspeitos, monitorar a circulação do vírus e atender pacientes com sintomas de doença respiratória aguda.


Foram estabelecidas oito unidades para funcionar como referência no atendimento aos casos suspeitos de gripe suína no estado de São Paulo. Esses locais ficarão de prontidão para identificar qualquer caso e comunicar o fato imediatamente ao Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) da Secretaria e colher materiais para exames.


Das oito unidades, três ficam na capital: Hospital das Clínicas de São Paulo, Instituto Emílio Ribas e Hospital São Paulo. No litoral, a unidade de referência é o Hospital Estadual Guilherme Álvaro, em Santos. Já no interior, há o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, Hospital das Clínicas de Campinas, Hospital Estadual de Bauru e Hospital de Base de São José do Rio Preto. Inicialmente serão 150 leitos de isolamento para atendimento dos casos suspeitos nos HC's de São Paulo, Ribeirão Preto e Campinas e Instituto Emílio Ribas.


Além destas referências, o Estado conta com sete unidades-sentinela que monitoram constantemente os vírus de gripe em circulação e são os responsáveis pela coleta de amostras de secreções nasais de pacientes com sintomas de doença respiratória aguda. Estas unidades estão localizadas nos mesmos municípios dos hospitais de referência e também em Guarulhos. Os exames virológicos serão realizados no Instituto Adolfo Lutz - uma das três referências nacionais para a identificação do Influenza.


A Secretaria também encaminhou às vigilâncias epidemiológicas municipais uma instrução normativa sobre como identificar e tratar casos suspeitos de gripe suína. As ações no estado seguirão as determinações do Ministério da Saúde para monitoramento e controle de casos. Entretanto, é importante ressaltar que não existe, até o momento, qualquer evidência de circulação do agente causador da gripe suína no Estado de São Paulo.


A gripe suína
Doença causada pelo virus influenza H1N1 que costuma afetar apenas porcos. Devido às mutações sofridas, este vírus adquiriu a capacidade de contaminar humanos.


O vírus dessa gripe veio do porco, mas não há risco de contágio pelo consumo da carne do animal. Porém, se o porco tem a gripe, ele tosse e essas secreções acabam contaminando quem lida com o animal.


Pode ser transmitida ao ser humano?


Sim, começando, em geral, por pessoas que estejam em contatos com os porcos.


Pode-se contrair a doença comendo carne de porco?


Não. A gripe é transmitida por via aérea, de pessoa para pessoa. A temperatura de cozimento (71º C) destrói os vírus e bactérias.


Quais os sintomas em pessoas?


Febre alta, letargia, falta de apetite, tosse. Os doentes ainda podem apresentar coriza, garganta seca, náusea, vômito e diarréia.


Da Secretaria de Saúde

 

Fonte:

 

http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=200753

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos