-
Esta página já teve 134.640.597 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.668 acessos diários
home | entre em contato
 

Cardiologia/Coração/CirurgCardíaca

Importância da troponina I no diagnóstico do infarto do miocárdio no pós-operatório de cirurgia de revascularização

10/06/2009

Volume: 24 Edição: 1 - Jan/Mar - 2009

 

Artigo Original

 

:
Importância da troponina I no diagnóstico do infarto do miocárdio no pós-operatório de cirurgia de revascularização

The importance of troponin I in the diagnosis of myocardial infarction in the postoperative of coronary artery bypass graft surgery

  Marcos Aurélio Barboza de OLIVEIRA1, Paulo Henrique Husseni BOTELHO2, Antônio Carlos BRANDI2, Carlos Alberto dos SANTOS2, Marcelo José Ferreira SOARES2, Marcos ZAIANTCHICK2, Maurício de Nassau MACHADO3, Moacir Fernandes de GODOY4, Domingo Marcolino BRAILE5
  Páginas: 11 a 14
 
Descritores: Troponina I. Infarto do miocárdio. Procedimentos cirúrgicos cardíacos.
Descriptors: Troponin I. Myocardial infarction. Cardiac surgical procedures.
 
 
 

Resumo:

Objetivo: Estabelecer um valor de corte para a troponina I, correlacionando-a com a ocorrência de infarto do miocárdio pós-cirúrgico (IAMPC). Métodos: Foram incluídos 180 pacientes consecutivos portadores de coronariopatia obstrutiva com indicação cirúrgica. A idade média dos pacientes foi de 60,6 + 9,3 anos, sendo 119 (66,1%) do sexo masculino e 61 (33,9%), do feminino. Os pacientes foram divididos em dois grupos: grupo sem infarto (A) - 170 pacientes - e infartado (B) - 10 pacientes. Foram coletados de cada um troponina I, ao momento da indução anestésica e ao segundo dia do pós-operatório, e correlacionada com a presença ou não de IAMPC. A análise estatística foi feita com a ajuda do programa StatsDirect 1.6.0 para Windows. Resultados: A troponina I pré-operatória apresentou uma média de 1,0 + 6 ng/ml. A regressão logística univariada mostrou correlação da troponina I do segundo dia de pós-operatório com IAMPC com P=0,0005. A curva ROC determinou um valor de corte de 6,1 ng/ml, sensibilidade = 90,0% e especificidade = 82,1%, OR = 49,8 (IC 95% 6,1-410,4) com P<0,0001. Conclusão: A chance de um paciente com infarto pós-operatório apresentar troponina igual ou superior a 6,1 ng/ml é 49,8 vezes maior do que a de um paciente que não infartou apresentar troponina acima desse nível.

Abstract:

Objective: The aim of this study is to establish a cut-off value for troponin I by correlating it to occurrence of postoperative myocardial infarction. Methods: 180 consecutive patients with coronary disease referred for surgery were included. The mean age of the patients were 60.6 (±9.3) years, with 119 (66.1%) males and 61 (33.9%) females. The patients were divided into two groups: group without myocardial infarction (A) - 170 patients - and with myocardial infarction (B) - 10 patients.The troponin I was collected from each patient at the beginning of anesthesia and on the second postoperative day by correlating it to presence or not of postoperative myocardial infarction. StatsDirect 1.6.0 for Windows was used for statistical analysis. Results: Preoperative troponin I was 1.0 (±6) ng/ml as mean. Univariate logistic regression showed correlation of troponin I of the second postoperative day with myocardial infarction (P=0.0005). ROC curve was used to define the cut-off value, and 6.1 ng/ml (sensitivity=90.0%, specificity=82.1%, OR=49.8 with CI=95% 6.1- 410.4, P< 0.0001) were found. Conclusion: The chance of a patient with postoperative myocardial infarction to present troponin I equal to or higher than 6.1 ng/ml is 49.8-fold higher than the chance of a patient without infarction to present troponin I higher than this value.

 
 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos