gastronomia -
Esta página já teve 132.524.080 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.702 acessos diários
home | entre em contato
 

gastronomia

Gastronomia delicada: Pétalas no Prato

28/09/2009

     

 

Por Carla Milani



Fotos: Getty Images




Estamos finalmente na primavera! Claro que todos hão de concordar que as estações do ano mais parecem ter entrado num "super liquidificador" e se misturaram, não é mesmo? Afinal, em uma mesma semana - pelo menos aqui em São Paulo - conseguimos sentir todos os tipos de sensações térmicas.

Já que estamos na primavera, época de sensações, colheitas e plantações, que tal falarmos sobre flores comestíveis? E eu posso garantir que você, leitor, já comeu flores comestíveis! Quer ver?

Por exemplo, a couve-flor, o brócolis e a alcachofra (esta última é mais encontrada nesta época do ano, mas tem a versão enlatada vendida durante todo o ano) têm suas flores - ou pedúnculos florais comestíveis - e são atualmente considerados como "alimentos funcionais", pois além de vitaminas, minerais e nutrientes, fornecem outros tipos de substâncias que podem até mesmo prevenir alguns tipos de doenças.

Além dessas, que todos conhecem e já incluíram na alimentação como um legume ou hortaliça, existem diversas outras, como as rosas, o amor-perfeito, a capuchinha, o borago. Cada tipo de flor tem características gustativas completamente diferentes, apresentando sensações únicas, que aprimoram e harmonizam receitas e enchem nossos olhos com diferentes colorações e sabores exóticos.

As pétalas das rosas não têm gosto específico, mas são excelentes coadjuvantes decorativos. Pode-se utilizar também o óleo essencial dessa flor para aromatizar receitas. Já o amor-perfeito tem sabor pouco adocicado e é mais utilizado também para enaltecer as cores dos pratos. A capuchinha oferece paladar mais apimentado, enquanto que o borago lembra um pouco sabores marítimos (frutos do mar) e a calêndula remete ao pouco amargo.

Mas cuidado! As flores comestíveis devem ser compradas para essa finalidade em empórios ou mercados especializados (a não ser o brócolis, a couve-flor e a alcachofra que são largamente utilizados na alimentação humana), pois as que são vendidas em floriculturas não são tratadas para a alimentação e sim para decoração, portanto os pesticidas e produtos químicos acrescentados podem fazer muito mal à saúde. Além disso, não são todas as flores que podem ser ingeridas, por isso, antes de se aventurar descobrindo novos sabores, é melhor procurar um local especializado para a escolha, aquisição e orientação de como utilizar essas iguarias e suas formas de conservação.

Bom Apetite!


Quem é a colunista: Carla Milani. Apaixonada por alimentos e bebidas.

O que faz: Nutricionista e Barista

Pecado gastronômico: Massas, massas e mais massas!!!

Melhor lugar do Brasil: Todos!!! (mas em especial o Rio de Janeiro...)

Fale com ela: csmilani@ig.com.br  


 

Fonte:

 

http://www.guiadasemana.com.br/Sao_Paulo/Gastronomia/Noticia/Petalas_no_prato.aspx?id=57471

 

 

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos