Ginecologia/Mulher -
Esta página já teve 132.442.522 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.709 acessos diários
home | entre em contato
 

Ginecologia/Mulher

Expressão de c-myc em lesões mamárias associadas a microcalcificações detectadas por mamografia de rotina

06/10/2009

Sao Paulo Medical Journal

 

Resumo

MAZZINI, Renato Coimbra et al. Expressão de c-myc em lesões mamárias associadas a microcalcificações detectadas por mamografia de rotina. Sao Paulo Med. J. [online]. 2009, vol.127, n.2, pp. 66-70. ISSN .  doi: 10.1590/S1516-31802009000200003.

CONTEXTO E OBJETIVO: Alterações nos genes reguladores da proliferação celular foram descritas em lesões pré-malignas. Os objetivos foram avaliar a expressão da proteína c-myc em biópsias de lesões mamárias não-palpáveis associadas a microcalcificações detectadas em mamografias de rastreamento e comparar estes resultados com as variáveis histopatológicas, clínicas e epidemiológicas. DESENHO E LOCAL: Estudo retrospectivo, em um hospital universitário em São Paulo. MÉTODOS: Setenta e nove pacientes do sexo feminino submetidas a mamografia de rotina de 1998 a 2004 foram estudadas. As lesões classificadas pelo sistema BI-RADS (Breast Imaging Reporting and Data) como 4 e 5 sofreram biópsias percutâneas com agulha grossa. Do ponto de vista anatomopatológico, foram estudadas 98 lesões. Os blocos com representação adequada para estudo imunoistoquímico com a técnica da estreptoavidina-biotina-peroxidase com o anticorpo monoclonal de camundongo c-myc foram incluídos. RESULTADOS: Das 98 lesões, 29 (29,6%), continham neoplasia maligna; 40 (40,8%) tiveram reação de imunoistoquímica positiva para o c-myc. Quando divididos os grupos em lesões sem atipia versus lesões atípicas mais lesões malignas, encontramos o c-myc positivo em 31,03% das 58 lesões sem atipias e 55% das 40 lesões atípicas e malignas (P = 0,018). Quando agrupamos as lesões atípicas com o carcinoma ductal in situ (CDIS) versus as lesões benignas sem atipias, observamos a presença do c-myc em 51,61% das 31 lesões atípicas e 31,03% das lesões benignas sem atipias (P = 0,057). CONCLUSÃO: A proteína c-myc está mais frequentemente expressa em lesões atípicas e malignas do que em lesões benignas sem atipia. A expressão do c-myc está correlacionada com a presença de atipia (P = 0,018).

Palavras-chave : Proteínas proto-oncogênicas c-myc; Expressão gênica; Mamografia; Neoplasias mamárias; Biópsia por agulha.

        · resumo em inglês     · texto em inglês     · pdf em inglês

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos