- Mas quem foi Gil Vicente?
Esta página já teve 133.098.929 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.666 acessos diários
home | entre em contato
 

Arte/Cultura/Diversão/Agenda

Mas quem foi Gil Vicente?

09/01/2010

 


Situada no pavimento inferior com capacidade para 317 espectadores, a Sala Gil Vicente tem recebido grandes produções do contexto nacional nestes anos de sua existência. O nome desta sala é uma singela homenagem ao grande escritor Gil Vicente.

 

Mas quem foi Gil Vicente?

 

Pouco se sabe sobre a vida de Gil Vicente. Pensa-se que terá nascido por volta de 1465, em Guimarães ou algures na Beira. Duas vezes casado, teve cinco filhos, dos quais os mais conhecidos são Paula Vicente, que deixou fama de uma mulher vulgarmente culta, e Luís Vicente, que organizou a primeira Compilação das obras de seu pai.
No início do século XVI encontramo-lo na corte, participando nos torneios poéticos que Garcia de Resende documentou no seu Cancioneiro Geral.
Em documentos da época há referência a um Gil Vicente, ourives, a quem é atribuída a famosa Custódia de Belém (1506), obra-prima da ourivesaria portuguesa do século XVI, e a um Gil Vicente que foi "mestre da balança" da Casa da Moeda. Alguns autores defendem que o dramaturgo, o ourives e o mestre de balança seriam a mesma pessoa, mas até hoje não foi possível provar isso de forma incontestável, embora a identificação do dramaturgo com o ourives seja mais credível, dada a abundância de termos técnicos de ourivesaria nos seus autos.

Bibliografia:
Auto da Visitação (1502)
Auto Pastoril Castelhano (1502)
Auto dos Reis Magos (1503)
Auto de S. Martinho (1504)
Auto da Índia (1509)
Auto da Fé (1510)
Auto das Fadas (1511)
O Velho da Horta (1512)
Exortação da Guerra (1513)
Auto da Sibila Cassandra (1513)
Comédia do Viúvo (1514)
Quem tem farelos (1515)
Auto dos Quatro Tempos (1516)
Auto da Barca do Inferno (1517)
Auto da Barca do Purgatório (1518)
Auto da Alma (1518)
Auto da Barca da Glória (1519)
Auto do Deus Padre (1520)
Comédia de Rubena (1521)
Cortes de Júpiter (1521)
Auto da Fama (1521)
Pranto de Maria Parda (1522)
Farsa de Inês Pereira (1523)
Auto Pastoril Português (1523)
Auto dos Físicos (1524)
Frágua d'Amor (1524)
Farsa do Juiz da Beira (1525)
Farsa das Ciganas (1525)
Dom Duardos (1525)
Templo d'Apolo (1526)
Breve Sumário da História de Deus (1526)
Diálogo dos Judeus sobre a Ressurreição (1526)
Nau d'Amores (1527)
Comédia sobre a Divisa da Cidade de Coimbra (1527)
Farsa dos Almocreves (1527)
Auto Pastoril da Serra da Estrela (1527)
Auto da Feira (1528)
Auto da Festa (1528)
Triunfo do Inverno (1528)
O Clérigo da Beira (1530)
Jubileu d'Amores (1531)
Auto da Lusitânia (1532)
Auto de Mofina Mendes (1532)
Romagem de Agravados (1533)
Amadis de Gaula (1533)
Auto da Cananeia (1534)
Floresta de Enganos (1536)
 

 

Fonte: Pesquisa Internet

 

Fonte:

 

http://www.ruthescobar.apetesp.org.br/gilvicente.htm

 

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos