-
Esta página já teve 135.332.922 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.660 acessos diários
home | entre em contato
 

Pediatria/Criança

Diagnóstico de baixa visão em crianças: sentimentos e compreensão de mães

29/01/2010

Arquivos Brasileiros de Oftalmologia

 

Resumo

FIGUEIREDO, Mirela de Oliveira; PAIVA E SILVA, Roberto Benedito de  e  NOBRE, Maria Inês Rubo. Diagnóstico de baixa visão em crianças: sentimentos e compreensão de mães. Arq. Bras. Oftalmol. [online]. 2009, vol.72, n.6, pp. 766-770. ISSN 0004-2749.  doi: 10.1590/S0004-27492009000600005.

OBJETIVOS: Identificar os sentimentos e reações de mães perante ao diagnóstico de baixa visão do filho e a sua compreensão do diagnóstico. MÉTODOS: Este estudo caracteriza-se como uma pesquisa qualitativa. Foram entrevistadas 11 mães de crianças com baixa visão atendidas pelo Serviço de Estimulação Visual do Setor de Oftalmologia Hospital de Clínicas da Unicamp. Para a coleta dos dados foram utilizadas entrevistas semiestruturadas. Os tópicos principais da entrevista foram: sentimentos diante do diagnóstico e a compreensão do diagnóstico da baixa visão. RESULTADOS: As mães apresentaram medo de que o filho fique cego e compreensão não clara da baixa visão, interpretando o diagnóstico médico de acordo com a sua subjetividade. CONCLUSÕES: A maneira como o diagnóstico é transmitido para as famílias é de extrema importância. As condições culturais, econômicas e emocionais dos pais, na maioria das vezes podem impedir a compreensão clara do diagnóstico.

Palavras-chave : Baixa visão [diagnóstico]; Baixa visão [psicologia]; Emoções; Comportamento materno; Relações mãe-filho; Compreensão.

        · resumo em inglês     · texto em português     · pdf em português

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos