-
Esta página já teve 133.101.709 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.662 acessos diários
home | entre em contato
 

Obesidade:Adulto/Infantil/Bariátrica

Obesidade: recomendações oficiais para prevenir doença são insuficientes

25/11/2010


Um estudo realizado em oito países europeus concluiu que são insuficientes as recomendações oficiais sobre nutrição para prevenir a obesidade e defende a redução do consumo de pão e arroz brancos, avança a agência Lusa.

Segundo um estudo divulgado pela Universidade de Copenhaga, a melhor maneira de prevenir ou combater a obesidade é seguir uma dieta rica em proteínas com mais carnes magras, lacticínios com baixo teor de gordura e legumes.

Publicado no New England Journal of Medicine, o estudo defende que se deve reduzir o consumo de amidos refinados, como o pão e arroz brancos, e observa que as recomendações oficiais actuais sobre nutrição não são suficientes para prevenir a obesidade.

A investigação reúne os resultados do maior estudo do mundo sobre dieta – o projecto Diógenes (Dieta, Obesidade e Genes), realizado desde 2005 em oito países com financiamento da União Europeia e gerido pela Universidade de Copenhaga, na Dinamarca.

"A nossa investigação documenta que, se as autoridades querem prevenir a obesidade, devem recomendar à população para comer mais proteínas", diz Thomas Meinert Larsen, um dos coordenadores do projecto.

Larsen salientou também a importância de ingerir vegetais e frutas ricos em fibras, como maçãs e peras, em vez de bananas e kiwis.

O estudo incluiu 772 famílias, abrangendo 938 adultos e 827 crianças.

Os adultos seguiram inicialmente, durante oito semanas, uma dieta de 800 calorias por dia, perdendo uma média de 11 quilos. Depois foram escolhidos aleatoriamente para acompanhar um dos cinco diferentes esquemas propostos, todos pobres em gordura animal, para avaliar qual o mais eficaz a evitar a recuperação do peso.

Os melhores resultados foram obtidos pelos adultos que seguiram a dieta rica em proteínas, com um aumento de peso de 0,93 quilos a menos do que aqueles que fizeram uma dieta pobre em proteínas, diz o estudo.

Nos que fizeram uma alimentação baixa em índice glicémico, o aumento de peso foi de 0,95 quilos a menos do que nos que seguiram uma dieta rica em índice glicémico.

Quanto às crianças, das quais 45 por cento eram obesas, comeram os mesmos alimentos que os pais. Naquelas que seguiram uma dieta rica em proteínas e baixa em índice glicémico, a prevalência de excesso de peso diminuiu espontaneamente de 46 para 39 por cento, salienta a investigação.

 

Fonte;

 

http://www.rcmpharma.com/news/10835/15/Obesidade-recomendacoes-oficiais-para-prevenir-doenca-sao-insuficientes.html

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos