-
Esta página já teve 134.622.543 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.670 acessos diários
home | entre em contato
 

Biotecnologia/Tecnologia/Ciências

Nanotecnologia possibilita sapatos mais confortáveis e sem mau cheiro

21/03/2011
 
Clique para ver todas as fotos de Nanotecnologia possibilita sapatos mais confortáveis e sem mau cheiro
Crédito: Banco de Imagem MCT
11/02/2011 - 12:35

O velho problema dos odores desagradáveis em calçados esportivos está prestes a ser superado graças à nanotecnologia. Com sedes no Rio Grande do Sul e em São Paulo, a empresa Dublauto tem desenvolvido inovações em componentes para calçados e têxteis que utilizam a chamada “tecnologia das partículas anãs” com resultados promissores. Das sete patentes requeridas pela empresa, três se originaram do projeto aprovado no edital de Subvenção Econômica da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCT) de 2007.

As palmilhas e outros componentes internos dos calçados têm como funções principais absorver o impacto das pisadas e manter os pés secos e com uma temperatura adequada. Com essa ideia na cabeça, os engenheiros da Dublauto, em parceria com universidades, elaboraram a linha Du Comfort, que inclui palmilhas e forros com nanopartículas que conferem ao calçado um diferencial importante no mercado: o conforto, “um dos itens que conferem mais valor agregado, tanto no mercado interno quanto externo”, afirma Evandro Wolfart, diretor de tecnologia da empresa.

A palmilha, batizada de Sequinha, é constituída de três camadas montadas em uma estrutura única, na qual é incorporada um tratamento nanotecnológico antimicrobiano, que previne o mau cheiro e até algumas doenças, como o pé-de-atleta. Já o forro Dry Soft absorve rapidamente o suor dos pés e o mantém longe do contato com a pele.

Ao mesmo tempo, microcápsulas com fragrância são liberadas continuamente, conforme o atrito natural, ao caminhar. As microcápsulas têm a função não só de evitar o mau cheiro como também agem como hidratante da pele, auxiliando nacicatrização de pequenas fissuras, na regeneração das células e na ativação da circulação sanguínea.

Pesquisas para a aplicação da nanotecnologia no setor couro-calçadista já existem no Brasil há vários anos, mas somente mais recentemente um número maior de inovações têm chegado ao mercado e ainda há um potencial grande a ser explorado. Segundo o professor Valdir Soldi, do Laboratório de Substâncias Restritivas do Instituto Brasileiro de Tecnologia de Couro, Calçados e Artefatos (IBTec), estruturado com recursos da FINEP, “embora ainda não seja usual, cada vez mais utilizam-se materiais com características estruturais menores, com o objetivo de modificar a resistência ou a estrutura”, diz.

Leia aqui a matéria completa, publicada na última edição da revista Inovação em Pauta.

 

Fonte:

 

http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/329183.html

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos