Ortopedia/Fisioterapia/Coluna/T.O. - Risedronato nas fraturas de idosas
Esta página já teve 132.523.904 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.702 acessos diários
home | entre em contato
 

Ortopedia/Fisioterapia/Coluna/T.O.

Risedronato nas fraturas de idosas

26/04/2011
EFEITOS DO RESIDRONATO SOBRE O RISCO DE FRATURA EM MULHERES IDOSAS


Um estudo feito com 5445 mulheres com idade entre 70 e 79 anos com diagnóstico de osteoporose pela densitometria óssea femural (considerado desvio padrão -4 em relação à população jovem), com fatores de risco para fraturas não relacionados à massa óssea e 3886 mulheres com mais de 80 anos com pelo menos 1 fator de risco para fraturas não relacionados à massa óssea ou osteopenia, que foram randomizadas para receber tratamento oral com residronato (2,5 a 5,0mg/dia) ou placebo por 3 anos. O objetivo foi avaliar a ocorrência de fraturas.

Resultados: comparando-se a incidência de fraturas em mulheres que usaram e que não usaram residronatofoi de 2,8% e 3,9% respectivamente (RR=0,7;p=0.02). No grupo de mulheres com osteoporose (70-79 anos) esta diferença, de residronato versus placebo, foi de 1,9% e 3,2% (RR=0,6;p=0,009). No grupo das pacientes selecionadas pelo risco de fraturas não relacionadas à massa óssea (>80 anos) a incidência de fraturas com residronato foi de 4,2% contra 5,1% do grupo com placebo (p=0,35).

Portanto, o residronato reduz significativamente as fraturas em mulheres idosas com osteoporose confirmada, mas não naquelas pacientes com outros riscos de fraturas que não relacionados à massa óssea.

Resumido por Ana Carolina Silva Sá

Fonte:

http://www.pharmakondf.com.br/index.php

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos