-
Esta página já teve 132.446.246 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.706 acessos diários
home | entre em contato
 

Gastroenterologia/Proctologia/Fígado

Hepatectomia para o tratamento de metástases colorretais e não-colorretais: análise comparativa em 30 casos operados

06/05/2011

ARTIGOS ORIGINAIS


HEPATECTOMIA PARA O TRATAMENTO DE METÁSTASES COLORRETAIS E NÃO-COLORRETAIS: ANÁLISE COMPARATIVA EM 30 CASOS OPERADOS

Hepatectomy for Metastasis from Colorectal and Non-Colorectal Origin: Comparative Analysis in 30 Resectable Cases

Sergio Renato Pais Costa1; Sérgio Henrique Horta2; Alexandre Cruz Henriques3; Jaques Waisberg4; Manlio Basílio Speranzini5

1 Especialista em Cancerologia Cirúrgica - Doutorando e Mestre em Cirurgia pela Universidade Federal de São Paulo - São Paulo - Brasil; 2. Especialista em Coloproctologia - Médico Assistente do Hospital de Ensino - Faculdade de Medicina do ABC - Santo André - São Paulo - Brasil; 3. Chefe do Serviço de Cirurgia Geral do Hospital de Ensino - Faculdade de Medicina do ABC - Santo André - São Paulo - Brasil; 4. Professor Assistente Doutor da Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo - Faculdade de Medicina do ABC - Santo André - São Paulo - Brasil; 5. Professor Titular da Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo - Faculdade de Medicina do ABC - Santo André - São Paulo - Brasil.


COSTA SRP; HORTA SH; HENRIQUES AC; WAISBERG J; SPERANZINI MB. Hepatectomia para o Tratamento de Metástases Colorretais e Não-Colorretais: Análise Comparativa em 30 Casos Operados. Rev bras Coloproct, 2009;29(2): 216-225.

Resumo: Racional - Hepatectomia é a melhor opção terapêutica curativa para metástases hepáticas de origem colorretal. Mais recentemente, ressecção hepática também tem sido realizada para metástases de etiologia não-colorretal. Objetivo - Comparar os resultados em curto e longo prazo de uma série de hepatectomias para 20 doentes com metástase colorretal com uma série de 10 doentes com metástase não-colorretal realizadas pelo Serviço de Cirurgia Geral (Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo) da Faculdade Medicina do ABC (Santo André - Brasil). Métodos - Os dados completos de 30 doentes submetidos à hepatectomia por metástase metacrônica entre o período de Janeiro de 2001 e Setembro de 2007 foram avaliados. Vinte com metástase colorretal (Grupo 1) foram comparados com dez com metástase não-colorretal (Grupo 2). Foi realizada análise multivariada dos fatores prognósticos com o programa Epi-Info para Windows. Resultados - Foram realizadas vinte hepatectomias maiores e dez hepatectomias menores. A morbidade foi similar entre os grupos (p >0,05). A mortalidade cirúrgica foi maior no Grupo 1 do que no Grupo 2 (5 % X 0 %), mas não houve significância estatística (p>0,05). Os índices de sobrevida global em 3 e 5 anos foram comparáveis entre os dois grupos (p>0,05). Conclusão - Nessa amostra, a ressecção hepática para metástase de etiologia não-colorretal apresenta resultados similares aos da metástase colorretal com sobrevida em cinco anos de 20 %. Foram fatores prognósticos adversos: mais que uma metástase e linfonodo positivo.

Descritores: Neoplasias colorretais; Hepatectomia; Metástase neoplásica; Neoplasias hepáticas/cirurgia; Neoplasias hepáticas/secundário; Neoplasias colorretais; Taxa de Sobrevida.

 

Fonte:

 

http://www.sbcp.org.br/revista/nbr292/p216_225.htm

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos