-
Esta página já teve 134.609.168 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.672 acessos diários
home | entre em contato
 

Gravidez/Parto/Obstetrícia

Toxoplasmose e gestação: resultados perinatais e associação do teste de avidez de IgG com infecção congênita em gestantes com IgM anti-Toxoplasma gond

09/06/2011

Scientia Medica, Vol. 20, No 1 (2010)

 
 

Scientia Medica, Vol. 20, No 1 (2010)

 
 
Toxoplasmose e gestação: resultados perinatais e associação do teste de avidez de IgG com infecção congênita em gestantes com IgM anti-Toxoplasma gondii reagente
 
 
Virgílio Gonçalves de Souza-Júnior, Ernesto Antonio Figueiró-Filho, Danilo de Cerqueira Borges, Vanessa Marcon Oliveira, Lílian Rezende Coelho

Resumo


OBJETIVOS: verificar os desfechos perinatais em gestantes com toxoplasmose aguda e se houve associação entre os resultados dos testes de avidez para anticorpos IgG anti-Toxoplasma gondii e a presença ou ausência de infecção fetal/neonatal.
MÉTODOS: um estudo transversal incluiu gestantes com diagnóstico sorológico de toxoplasmose apresentando IgM específica reagente, atendidas no Ambulatório de Gestação de Alto Risco da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no período de novembro de 2002 a novembro de 2007. Resultados do teste de avidez de IgG demonstrando índices superiores a 30% foram considerados alta avidez, enquanto valores inferiores a 30% foram considerados baixa avidez. Definiram-se como sendo de infecção fetal e/ou neonatal os casos com resultado positivo para a reação em cadeia da polimerase no líquido amniótico ou com IgM específica para toxoplasmose reagente no sangue do recém-nascido.
RESULTADOS: considerando-se todas as gestantes referidas para o ambulatório de gestação de alto risco no período estudado, a frequência de gestantes com IgM anti-Toxoplasma gondii reagente foi de 10,8% (176/1.634). A taxa de infecção congênita nessas pacientes foi de 4% (7/176). O teste de avidez de IgG foi realizado em 162 gestantes (92%), encontrando-se avidez alta em 144 (88,9%). Houve associação (p=0,003) entre avidez alta e ausência de toxoplasmose fetal/neonatal na amostra estudada, com razão de prevalência de 13,4 (intervalo de confiança [IC] 95% 2,2-86,6). O Valor preditivo positivo do teste de avidez (probabilidade de infecção congênita com avidez baixa) foi de 22% (IC 95% 6%-47%), enquanto o valor preditivo negativo (probabilidade de ausência da infecção congênita com avidez alta) foi de 98% (IC 95% 94%-99%).
CONCLUSÕES: neste estudo a taxa de infecção congênita em gestantes com diagnóstico de toxoplasmose aguda foi de 4%. Nas gestantes com IgM anti-Toxoplasma gondii positiva, o resultado do teste de avidez de IgG anti-Toxoplasma gondii associou-se à presença ou ausência de infecção congênita, com elevado valor preditivo negativo (ausência de infecção fetal/neonatal quando a avidez era alta).

Texto Completo: PDF EM PORTUGUÊS

Fonte:
 
 
 
 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos