-
Esta página já teve 132.556.564 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.698 acessos diários
home | entre em contato
 

Medicina Esportiva/Atividade Física

Estudo mostra que ciclistas têm de duas a três vezes mais carbono em seus pulmões, quando comparado com pedestres

26/09/2011
26.09.2011

 

Ciclistas inalam mais carbono do que pedestres em grandes cidades

Estudo mostra que ciclistas têm de duas a três vezes mais carbono em seus pulmões, quando comparado com pedestres

 
 
Estudo aponta que ciclistas estão mais propensos a lesões pulmonares do que pedestres

Pessoas que percorrem as ruas de Londres e de outras grandes cidades têm níveis mais altos de carbono em suas células das vias aéreas, afirmam especialistas do Reino Unido.

Pesquisa realizada pela London School of Medicine sugere que ciclistas inalam mais carbono negro do que os pedestres, o que pode causar danos aos pulmões.

A combustão de combustíveis fósseis resulta na geração de um grande número de partículas inaláveis ??de fuligem (carbono preto). Há evidências crescentes de que a inalação de partículas de negro de fumo está associada a uma ampla gama de efeitos para a saúde - incluindo ataques cardíacos e redução da função pulmonar.

Pesquisadores, liderados pelo professor Jonathan Grigg da Barts e da London School of Medicine testaram a hipótese de que os ciclistas têm maior exposição pessoal ao negro de fumo.

Para testar esta teoria, o estudo comparou a dose de negro de fumo nos pulmões de ciclistas e pedestres. Para medir a dose de pulmão, os pesquisadores coletaram uma amostra de uma célula das vias aéreas inferiores chamada macrófago das vias aéreas - uma célula especializada, que fica na superfície das vias aéreas e absorve materiais estranhos ao organismo.

Os pesquisadores coletaram amostras de escarro de cinco adultos que andam regularmente de bicicleta, usando-a para trabalhar em Londres e cinco pedestres. Foi analisada a quantidade de negro de carbono encontrada nos macrófagos suas vias aéreas. Todos os participantes do estudo eram não-fumantes saudáveis com idades entre 18 e 40 anos.

Os resultados mostraram que nesta pequena amostra, os ciclistas têm de duas a três vezes mais carbono em seus pulmões, quando comparado com os pedestres. A probabilidade de que essa diferença ocorrer por acaso é menos de 1 em 100.

Dr Chinedu Nwokoro, um dos pesquisadores do estudo e um ciclista ativo, disse: "Os resultados deste estudo demonstraram que o ciclismo em uma grande cidade européia aumenta a exposição ao negro de carbono. Isto pode ser devido a uma série de fatores, incluindo o fato de que os ciclistas respirarem mais profundamente e em um ritmo mais rápido do que os pedestres. Nossos dados sugerem fortemente que a exposição pessoal ao negro de carbono deve ser considerada quando no planejamento de ciclismo. Se ciclismo for praticado por indivíduos saudáveis ??é, em si associada a efeitos adversos à saúde está sendo avaliado em um estudo mais amplo já em curso."

 
Fonte:
 
 
 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos