Vitaminas e antioxidantes -
Esta página já teve 132.508.100 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.703 acessos diários
home | entre em contato
 

Vitaminas e antioxidantes

O Relatório de 2011 sobre Ingestão Dietética de Referência para a vitamina D

05/12/2011

O Relatório de 2011 sobre Ingestão Dietética de Referência para a vitamina D: Where Do We Go From Here?

  1. John F. Aloia

- Afiliações Autor

  1. Winthrop University Hospital, Mineola, New York 11501
  1. Endereço para correspondência e pedidos de separatas para: John F. Aloia, MD, Winthrop University Hospital, 222 Station Plaza North, Suite 510, Mineola, New York 11501. E-mail: jaloia@winthrop.org .

Abstract

Contexto: O relatório  do Institute of Medicine (IOM) sobre a ingestão dietética de referência (DRI) para a vitamina D é analisada, juntamente com suas implicações.

Aquisição evidências: revisões baseadas em evidências foram concluídas, o comitê realizou sua pesquisa IOM própria literatura, uma oficina aberta ao público, e duas sessões abertas, e mantido um site público para a entrada de partes interessadas. O relatório de consenso dos 14 cientistas na comissão foi revisado por um painel de especialistas.

Síntese evidência: a saúde dos ossos Só poderia ser usado como um indicador para DRI desenvolvimento. Evidência de resultados extraesquelético era inadequada, inconsistente ou insuficiente para desenvolver DRI. A ingestão diária recomendada foi encontrado para ser 600 UI / d para as idades 10-70 anos, correspondendo em média a uma 25-hidroxivitamina D sérica nível (25OHD) de pelo menos 50 nmol / litro (20 ng / ml), e 800 UI / d para aqueles com mais de 70 anos. Comparação com os atuais níveis de 25OHD no National Health and Nutrition Examination inquérito à população inquérito revelaram que a ingestão de vitamina D nos Estados Unidos e Canadá é adequada. O limite máximo foi fixado em 4.000 UI / d para adultos, correspondendo a um nível sérico médio de 25OHD de 125 nmol / litro (50 ng / ml).

Conclusão: Os relatórios anteriores sobre uma epidemia de deficiência de vitamina D na América do Norte foram baseados em uma superestimação de adequação. Rastreamento populacional com 25OHD sérica , portanto, não se justifica. Variação de referência do laboratório atual  para 25OHD sérica são superestimados e isto deve ser revisto. Orientações práticas para tratar a doença não deve ser aplicada para a população saudável americana onde o uso do DRI é apropriada.

 

Fonte:

 

http://jcem.endojournals.org/content/96/10/2987.abstract

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos