-
Esta página já teve 132.435.844 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.708 acessos diários
home | entre em contato
 

Enxaqueca/Cefaléia/Dor de cabeça

Toxina Botulínica para Enxaqueca

24/05/2012
Enxaqueca

A enxaqueca é caracterizada por dores de cabeça moderadas a severas, acompanhadas de náuseas e vômitos. Normalmente atinge três vezes mais as mulheres que os homens.

Características da Enxaqueca

Os sintomas típicos da enxaqueca são:
- forte dor de cabeça unliateral (atingindo um dos lados da cabeça), pulsátil (latejante), que pode durar de 4 a 72 horas
- náuseas, vômitos, fotofobia (sensibiliadde à luz) e fonofobia (sensibilidade aos sons)
- os sintomas geralmente são agravados por atividade de rotina
- aproximadamente um terço das pessoas com enxaqueca podem aprasentar aura, que consiste em sintomas incomuns visuais, olfatórios ou outras alterações sensitivas que indicam que a enxaqueca está para começar
O tratamento inicial da enxaqueca se dá com analgésicos para as dores de cabeça e antieméticos para diminuir as náuseas, e evitar as condições desencadeantes.
 

EnxaquecaClassificação da Enxaqueca

A Sociedade Internacional de Cefaléia (dor de cabeça) elaborou um documento denominado “The International Classification of Headache Disorders, 2nd edition” (ICHD-2), que classifica a enxqueca, baseado em evidências, sem cunho científico. De acordo com o ICHD-2, há sete subdivisões principais para enxaqueca, que são:
1. Enxaqueca Comum, ou Enxaqueca sem Aura
Refere-se a enxqueca sem aura, sem distúrbios visuais (como escotomas cintilantes, sensação de ver moscas voando) ou sensitivos.
2. Enxaqueca com Aura
Normalmente a aura precede a enxaqueca. Menos comumente, pode ocorrer aura sem enxaqueca em seguida, ou seguida por uma dor de cabeça que não chega a ser enxaqueca.
3. Síndromes Infantis Periódicas
São sintomas que as crianças apresentam que podem ser precursoras de enxaqueca. Esses sintomas incluem: vômitos cíclicos (episódios recorrentes de vômitos intensos), enxaqueca abdominal (dor abdominal, normalmente acompanhada de náuseas) e vertigem benigna da infância (ataques ocasionais de vertigem).
4. Enxaqueca Retinal
Envolve enxaqueca e distúrbios visuais, incluindo a possibilidade de cegueira temporária de apenas um olho.
5. Enxaqueca Complicada
Descreve enxaqueca que tem duração extremamente longa, ou muito frequente, ou com crise ou lesão cerebral.
6. Enxaqueca Provável
Descreve um conjunto de sintomas que têm características de enxaqueca mas que não possuem evidência suficiente para fechar o diagnóstico com certeza (devido ao uso de muitos medicamentos).
7. Enxaqueca Crônica
Refere-se a uma exaqueca complicada que dura pelo menos 15 dias por mês, por pelo menos três meses.
 

Sinais e Sintomas da Enxaqueca

Normalmente, a enxaqueca é caracterizada por dores de cabeça muito fortes e recorrentes, associadas a sintomas autonômicos. A aura pode ocorrer em uma pequena porcentagem das pessoas. A severidade da dor, duração da cefaléia e frequência dos ataques é variável.
Há quatro fases possíveis de uma crise de enxaqueca. Nem sempre todas as fases estão presentes. Além disso, as fases presentes e os sintomas que ocorrem podem variar de uma crise para outra em uma mesma pessoa.
1. O pródromo, que pode ocorrer horas ou dias antes da enxaqueca
2. A aura, que imediatamente precede a enxaqueca
3. A fase da dor, também chamada de a fase da cefaléia
4. O pósdromo

Pródromo

O pródromo ocorre em cerca de 40 a 60% das pessoas com enxaqueca. Esta fase consiste de alterações do humor, irritabilidade, depressão ou euforia, fadiga, bocejo, sonolência excessiva, desejo de certas comidas (como chocolate, por exemplo), rigidez muscular (especialmente nos pescoço), orelhas quentes, constipação ou diarréia, aumento da diurese e outros sintomas viscerais. Esses sintomas precedem a fase de dor de cabeça em horas ou dias e a experência ensina o paciente ou familiares a detectar quando um ataque de enxaqueca está próximo.

Aura

Acomete cerca de 20 a 30% das pessoas que sofrem de enxaqueca. Os sintomas da Aura aparecem aos poucos, ao longo de 5 a 20 minutos e geralmente duram menos que 60 minutos. A fase da dor de cabeça normalmente ocorre em menos de uma hora após cessarem os sintomas da aura, porém algumas vezes pode demorar muitas horas para ocorrer ou nem haver a fase de dor de cabeça. A dor de cabeça (cefaléia) também pode ocorrer antes de cessarem os sintomas da aura, que podem ser sensitivos ou motores.
A aura visual é a mais comum dos efeitos neurológicos e pode ocorrer sem qualquer dor de cabeça. Pode ocorre um distúrbio de visão com flashes malformados de branco e/ou preto ou raramente de luzes multicoloridas (fotopsia), ou formação de linhas de zigzague cintilantes (escotomas cintilantes). Alguns pacientes se queixam de visão turva ou borrada, ou visão em túnel ou hemianopsia (cegueira de um lado da visão – direita ou esquerda).
Outros sintomas da aura incluem auditórios, gustatórios ou olfatórios, disfasia temporal, vertigem, formigamento ou anestesia da face e extremidades e hipersensibilidade ao tato.

Dor

A dor típica da enxaqueca é unilateral, latejante, de moderada para severa e pode ser agravada por atividade física. Nem todas essas características são necessárias. A dor pode começar de um lado e se generalizar, ou iniciar dos dois lados, e pode ser sempre de um lado ou alternar um lado com o outro, de uma crise para outra. O início normalmente é insidioso e normalmente demora de 4 a 72 horas nos adultos e de 1 a 48 horas nas crianças. A frequência dos ataques é bastante variável, podendo ser desde alguns ao longo da vida, até vários em uma semana e na média, uma pessoa que tem enxaqueca apresenta de uma a três crises por mês. A intensidade da dor também pode variar muito.
A dor de cabeça enxaquecosa está sempre acompanhada de outros sintomas. Náusea ocorre em cerca de 90% dos acometidos, enquanto que um terço dos pacientes com enxaqueca pode apresentar vômitos. Muitos apresentam fotofobia, fonofobia e osmofobia e procuram um quarto escuro e silencioso para melhorar os sintomas. Pode-se também apresentar turvação visual, delírio, congestão nasal, diarréia, tinido, poliúria (aumento da diurese), palidez ou sudorese excessiva. Dificuldade de concentração e alteração no humor são bastante comuns. As extremidades podem ficar frias e úmidas. Pode haver vertigem e sensação de desmaio.

Pósdromo

Os efeitos da enxaqueca podem persistir por alguns dias mesmo após a dor de cabeça ter acabado. Muitos relatam sentir alguma dor no local onde estava a enxaqueca e outros referem dificuldade no pensamento, dificuldades cognitivas, sintomas gastrointestinais, alterações no humor e fraqueza. De acordo com um artigo, algumas pessoas se sentem aliviadas e eufóricas quando a cefaléia vai embora, enquanto que outras se sentem mal e deprimidas.
 

Causa

A causa da enxaqueca é desconhecida.
 

Diagnóstico

Enxaqueca muitas vezes é subdiagnosticada ou diagnosticada erradamente. A Sociedade Internacional de Cefaléia estabeleceu critérios 5, 4, 3, 2, 1 para enxaqueca sem aura:
- 5 ou mais crises para enxaqueca sem aura, sendo que para enxaqueca com aura, duas crises bastam;
- 4 horas a 3 dias de duração;
- 2 ou mais dos seguintes: unilateral, pulsátil, intensidade moderada para severa e desencadeada por atividade física de rotina, ou que impede de realizar essa atividade.
- 1 ou mais dos seguintes: náusea e/ou vômito, sensibilidade a luz ou sensibilidade ao som.
 

Tratamento Regular

Analgésicos

Analgésicos que ajudam no tratamento de enxaqueca incluem:
- Antiinflamatórios não-hormonais: ibuprofeno é eficaz no alívio dos sintomas em metade dos pacientes com enxaqueca. Naproxeno pode abortar os sintomas em 30% dos pacientes. 1g de AAS pode melhorar 35% das crises.
- Paracetamos/acetaminofen sozinhos ou em combinação com metoclopramida são eficazes para enxaqueca.
- Analgésicos comuns associados a cafeína ou somente a cafeína podem ajudar. Isso apesar de, em geral, recomendar-se que pessoas que sofrem de enxaqueca devem evitar ingestão de cafeína.

Triptanos

Triptanos como sutamtriptanos podem aliviar dor e náuseas em até 75% das pessoas com enxaqueca. Não causam dependência, mas podem causar dor de cabeça secundária se forem usados mais de dez dias por mês.

Ergotaminas

Dihidroergotamina é um medicamento antigo e alguns ainda acham bastante útil. Foram usados antes dos triptanos e são bem mais econômicos, sendo prescritos até hoje.

Corticóides

Uma dose única de dexametasona intravenosa, quando adicionada ao tratamento normal de enxaqueca, está associada a uma diminuição de 26% na recorrência da enxaqueca nas 72 horas seguintes.

Outros

Antieméticos são frequentemente utilizados em associação aos analgésicos, uma vez que os vômitos diminuem a absorção dos analgésicos. Além disso, medicamentos como a metroclopramida são procinéticos, o que é favorável aos pacientes com enxaqueca, que têm a velocidade de esvaziamento gástico diminuída.
 

Botox para EnxaquecaToxina  para Enxaqueca

O Botox (toxina botulínica tipo A) recebeu a aprovação do FDA para tratamento da enxaqueca crônica em outubro de 2010, conforme matéria publicada no New York Times. A toxina é injetada na cabeça e na nuca para tratamento da dor de cabeça enxaquecosa.
A Allergan, produtora de Botox, havia realizado um estudo mostrando melhora dos casos de enxaqueca crônica com o uso de Botox.
Desde então, vários estudos randomizados têm comprovado a melhora dos sintomas e da qualidade de vida de pessoas que sofrem de enxaqueca crônica e que utilizam o Botox de forma profilática.

Duração do Efeito

A maioria dos pacientes que utilizam Botox para Enxaqueca relatam melhora dos sintomas num prazo de quatro a seis meses, o mesmo prazo para Botox utilizado para rugas. Somente nos casos de hiperidrose é que o Botox tem uma durabilidade maior.

Locais de Aplicação da Toxina Botulínica para Enxaqueca

O Botox para Enxaqueca é aplicado em pontos determinados, que são:
- região glabelar e terço medial dos supercílios (1cm acima destes), num total de 5 pontos
- um ponto em cada lado da região temporal (a dose nessa região é maior que nos outros pontos)
- nuca (dois ou três pontos são aplicados na nuca, na base do crânio)

Dose de Toxina para Enxaqueca

 para enxaqueca é por nós utilizado numa dose total de cerca de 75 unidades.

A Melhora Esperada com a toxina

Em relatos de estudos encontramos a mesma melhora que em nossa experiência:
- a melhora completa da enxaqueca ocorre em cerca de 50% dos pacientes;
- os outros 50% dos pacientes relatam uma melhora significativa da ordem de 50 a 80% dos seus sintomas;
- mesmo os pacientes que não apresentam melhora completa dos sintomas com Botox relatam que as crises diminuem muito, tornando-se mais espaçadas e que melhoram com medicamentos mais simples, o que antes não ocorria;
- não tivemos nenhum caso de paciente que referiu não haver melhora alguma com o uso do Botox para enxaqueca.

Prazo para Alívio dos Sintomas

Alguns pacientes relatam melhora imediata dos sintomas, logo após a aplicação da toxina. Outros informam que a melhora maior ocorre entre 4 e 10 dias. Acreditamos que quanto maior a severidade dos sintomas, a melhora expressiva pode demorar alguns dias a mais, quando comparamos com pacientes que têm sintomas um pouco mais brandos. Em todo caso, sempre agendamos um retorno entre 10 e 14 dias para avaliar o sucesso da aplicação.

Como a toxina melhora a Enxaqueca?

O mecanismo de ação que explica como a toxina melhora enxaqueca ainda é desconhecido. Pode ser que ele relaxe sinais de dor ou mesmo que relaxe sinais relacionados à enxaqueca. Um artigo da Clínica Mayo afirma que o Botox pode causar mudanças no seu sistema nervoso que podem modificar sua tendência a desenvolver enxaqueca.

Fonte:

http://www.cirurgiaplasticalondrina.com.br/blog/enxaqueca-botox/

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos