Gastroenterologia/Proctologia/Fígado - Fatores determinantes do reganho ponderal no pós-operatório de cirurgia bariátrica.
Esta página já teve 128.997.728 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 25.180 acessos diários
home | entre em contato
 

Gastroenterologia/Proctologia/Fígado

Fatores determinantes do reganho ponderal no pós-operatório de cirurgia bariátrica.

09/06/2014

ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo)

Resumo

BASTOS, Emanuelle Cristina Lins et al. Fatores determinantes do reganho ponderal no pós-operatório de cirurgia bariátrica. ABCD, arq. bras. cir. dig. [online]. 2013, vol.26, suppl.1, pp. 26-32. ISSN 0102-6720.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202013000600007.

RACIONAL: A cirurgia bariátrica induz a uma média de perda de 60 a 75% do excesso de peso corporal, com máxima perda ponderal no período entre 18 e 24 meses de pós-operatório. Entretanto, vários estudos evidenciam que reganho ponderal ocorre a partir de dois anos da operação. OBJETIVO: Identificar fatores determinantes de reganho ponderal em usuários submetidos à cirurgia bariátrica. MÉTODOS: Estudo transversal prospectivo com 64 indivíduos submetidos à cirurgia bariátrica com tempo de pós-operatório > dois anos avaliados segundo o reganho de peso. As variáveis analisadas foram idade, sexo, escolaridade, classe econômica, atividade laboral relacionada à alimentação, tempo de pós-operatório, IMC, percentual de perda do excesso de peso, evolução ponderal, assiduidade no acompanhamento nutricional, estilo de vida, hábitos alimentares, auto-percepção do apetite, uso diário de suplementos nutricionais e qualidade de vida. RESULTADOS: Foram 57 (89%) mulheres e 7 (11%) homens, com idade de 41,76 ± 7,93 anos e tempo médio de pós-operatório de 53,4±18,4 meses. O peso e IMC médios foram, respectivamente, 127,48 ± 24,2 kg e 49,56 ± 6,7 kg/m2 no momento da operação. O peso e o IMC mínimos atingidos foram 73,0±18,6 kg e 28,3 ± 5,5 kg/m2, alcançados em 23,7±12 meses de pós-operatório. Reganho ponderal significativo ocorreu em 18 (28,1%) casos. O tempo médio de pós-operatório de 66±8,3 meses e a atividade laboral relacionada à alimentação apresentaram significância estatística (p=000 e p=0,003) para o reganho ponderal. CONCLUSÃO: A cirurgia bariátrica promove redução adequada do excesso de peso corporal, com reganho ponderal significativo observado após cinco anos; o tempo pós-operatório, a atividade laboral estimulando alimentação fora de casa foram os fatores determinantes para a ocorrência do reganho de peso.

Palavras-chave : Bypass gástrico; Cirurgia bariátrica; Ganho de peso.

      
 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos