Antienvelhecimento/Longevidade -
Esta página já teve 132.439.266 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.709 acessos diários
home | entre em contato
 

Antienvelhecimento/Longevidade

Dicas para quem está envelhecendo...

00/00/0000
 DICAS PARA QUEM ESTÁ ENVELHECENDO...

O Homem sempre se preocupou com o envelhecimento, que é encarado de várias maneiras diferentes. Alguns caracterizam-no como uma diminuição geral das capacidades, outros consideram-no um período de crescente vulnerabilidade e de cada vez maior dependência. Outros, ainda, veneram a velhice como o ponto mais alto da sabedoria, bom senso e serenidade. Cada uma destas atitudes corresponde a uma verdade parcial, mas nenhuma representa a verdade total. Enquanto somos jovens não gostamos de pensar que um dia envelheceremos. Com o tempo, apercebemo-nos de que vamos tendo cada vez mais rugas e de que o cabelo começa a ficar grisalho. Estes sinais são apenas sinais exteriores de envelhecimento. Quando jovens, os nossos órgãos- coração, pulmões, rins - possuíam capacidades de reserva. Sempre que tínhamos que fazer um esforço maior do que ao habitual, os órgãos conseguiam mobilizar essas energias de reserva para corresponder a esse esforço: o estômago digeria refeições gordurosas, as feridas saravam, o cérebro funcionava com rapidez sempre que era necessário e, mesmo sob pressão, todo o corpo recuperava rapidamente do cansaço. À medida que os anos foram passando, estas reservas diminuíram e a nossa capacidade de suportar esforços diminuiu também. Hoje, temos que nos adaptar a algumas limitações nas nossas atividades e a algumas reduções nos nossos sentidos. Estaremos aqui informando sobre as alterações que podem surgir com o envelhecimento e sobre o modo como devemos enfrentá-las. 

PROMOÇÃO E MANUTENÇÃO DA SAÚDE 

Os órgãos que não se mantêm ativos têm tendência a deixar de funcionar de forma correta, especialmente se, como acontece por vezes, tiverem sofrido alterações com o passar dos anos. Os movimentos começam a ser mais lentos e o andar menos seguro. Se fizer exercício diariamente, passará a movimentar-se com maior rapidez e segurança. O exercício físico também ajuda a prevenir algumas doenças (principalmente as do coração e dos vasos sangüíneos) e a diminuir a perda de cálcio dos ossos. A prática de exercício ajuda a manter a força e elasticidade dos músculos, evita a  obesidade e dá uma sensação de bem-estar. Andar todos os dias é uma das melhores formas de praticar exercício. A duração e o ritmo da marcha dependerão do estado físico de cada pessoa.  Mantenha o corpo e a cabeça bem direitos e caminhe firmemente - a respiração deverá tornar-se mais rápida e mais profunda. Deve caminhar 30 a 45 minutos por dia; a duração do exercício deverá ser aumentada gradualmente e de forma a não se cansar demasiado.O ideal é caminhar ao ar livre, evitando as ruas poluídas e cheias de trânsito, sobre terrenos macios (relva, praia), nunca em superfícies duras (asfalto e pedras). Se tiver de caminhar em terrenos duros, utilize sapatos com solas de borracha bastante grossas. Exercícios diários, de pé ou deitado, também são úteis e são mais eficazes se forem orientados por um especialista. A Natação é, também, um exercício recomendado. Se não souber nadar, poderá ficar de pé, ou sentado em água pouco profunda e agitar a água com os braços. Andar de bicicleta constitui, também, uma excelente atividade física, sendo, no entanto, necessária uma certa experiência e bom equilíbrio. Dançar é outro excelente exercício físico. O melhor que tem a fazer, é escolher uma das atividades indicadas anteriormente, de acordo com a sua preferência e possibilidades, e praticá-la todos os dias. Aumente gradualmente o esforço e a duração do  exercício. Se tiver dúvidas acerca do modo como deve começar e do tipo de exercício que deve escolher, pergunte ao seu médico. Além disso, mantenha-se o mais ativo possível na sua casa e no seu jardim.   Alimentação saudável: A alimentação correta é um dos fatores que maior influência tem na sua saúde e bem estar. E à medida que a idade avança, mais importante se vai tornando. Podemos classificar os alimentos em cinco grupos:    

a.. pão, batatas, arroz, massas, farinha e cereais    

b.. carne, peixe, ovos, leite e produtos lácteos, feijão, lentilhas, ervilhas   

c.. margarina, óleos, gorduras    

d.. vegetais (cenouras, couves, tomates, pepinos, alface)   

e.. frutas (maçãs, pêras, melão, laranjas, pêssegos).  

Deverá ingerir por dia, no mínimo, um alimento de cada grupo. Tente variar as suas opções.  

Mais conselhos:

 Uma boa alimentação começa com uma boa compra. Só poderá preparar refeições  nutritivas se tiver em sua casa os ingredientes apropriados. Faça uma lista das coisas de que precisa. Desta forma, evitará ter de sair várias vezes para ir à mercearia e poupará despesas desnecessárias com produtos de que não tem necessidade. Não entre numa loja quando estiver com fome, pois irá comprar mais do que precisa. Faça as compras num local onde possa adquirir quase todos os produtos. Desta forma, não precisará de ir a várias lojas.    

a.. Na realidade, pouco interessa se os alimentos são frescos ou congelados, pré-cozinhados, secos ou de conserva. Deve, porém, comer todos os dias fruta ou vegetais frescos.   

b.. Deve comer, pelos menos, uma refeição quente por dia. Para que a preparação das refeições se torne mais fácil, cozinhe uma quantidade maior de cada vez; depois divida-a em doses diárias e guarde na geladeira ou congele.    

c.. Coma, por dia, 3 a 5 refeições a horas certas; isto ajudá-lo-á a lembrar-se mais facilmente do que comeu e em que quantidade. Não coma demasiado, nem coma coisas que não são necessárias.    

d.. Se tiver dificuldade em mastigar, passe a comer produtos mais macios, como ovos, lacticínios ou papas (feitas de arroz, massas, cereais). Coma alimentos que não seja necessário mastigar, como, por exemplo, sucos de fruta e de vegetais, ou coza o peixe, a carne e os vegetais até ficarem bem tenros e depois, se achar necessário, esmague-os ou pique-os.    

e.. Beba muitos líquidos (no mínimo dois litros por dia), especialmente quando o tempo estiver quente. Esta regra é muito importante. A sede não é  um sinal que traduza as necessidades orgânicas e, por isso, é importante beber mesmo quando não se tem sede. Beba água ou bebidas não açucaradas, como sucos, chá ou café (sem pôr muito açúcar).    

f.. Se sofrer de constipação (prisão de ventre), beba mais líquidos. Pode, também, tomar duas ou três colheres de chá de fibras preparadas para esse fim (feitas com as cascas das sementes que ficam depois dos cereais serem moídos para fazer a farinha). A atividade física também ajuda.    

g.. Não utilize muito sal; pode, em vez disso, melhorar o sabor dos alimentos usando nos cozidos cebolas, alho, funcho, pimenta e outras especiarias. 

Má nutrição: A má nutrição pode resultar da deficiente absorção dos alimentos (como acontece em algumas doenças do estômago e intestino), de uma alimentação carente ou de excesso alimentar. Nos países da Europa e EUA- contrariamente ao que acontece em alguns países menos desenvolvidos da África, Ásia ou América Latina - a principal forma de má nutrição é a obesidade ("gordura" ou excesso de peso) causada pela alimentação excessiva. A má nutrição devida a carências alimentares é mais rara na Europa e EUA. Quanto mais reduzir a sua atividade física, menos energia despenderá e menos alimentos vai necessitar para compensar a energia perdida. O apetite pode diminuir à medida que se for tornando menos ativo. Comerá menos e daí poderá resultar uma ingestão inadequada de nutrientes. Como conseqüência disso, podem surgir algumas doenças (ligeiro sangramento das gengivas e da pele, comichão) e poderá sentir-se cansado, nervoso e ansioso. Aqui está mais uma boa razão para praticar exercício físico diariamente. Se vive sozinho e trata de si próprio, especialmente se é um homem e tem mais de 75 anos, pode estar em risco de ficar desnutrido. Pode sentir-se pouco motivado para cozinhar as refeições que seriam adequadas, estar  retido em casa ingerindo pequenas quantidades de alimentos inapropriados e ter uma ingestão deficiente de alguns nutrientes. Se tiver má dentição ou dificuldade em engolir, poderá também ingerir  quantidades inadequadas de alguns nutrientes e apresentar sinais de má nutrição. Se tiver mais de 75 anos de idade será provavelmente uma boa idéia tomar um suplemento vitamínico e mineral. As cápsulas de polivitamínicos são relativamente baratas. Lembre-se que, nos países desenvolvidos, a má nutrição está mais freqüentemente ligada a excessos do que a carências alimentares. A obesidade é o resultado da ingestão excessiva de calorias e de se comer mais do que é necessário. As pessoas obesas vivem menos tempo do que as não obesas, porque sofrem mais freqüentemente de hipertensão arterial, doenças do coração e dos vasos sanguíneos e de diabetes. São também menos ágeis e os seus ossos e articulações são obrigados a suportar grandes pesos. Para prevenir ou reduzir a obesidade, siga os conselhos abaixo:

a.. Pratique exercício físico, de maneira a aumentar o dispêndio de energia.    

b.. Não coma açúcar em excesso ou demasiados doces ou bolos.    

c.. Reduza as gorduras e os alimentos gordos. Não deve comer mais de 60 gramas de gordura por dia. Evite especialmente carne gorda, salsichas, queijo gordo e leite gordo. Utilize margarina ou óleos vegetais em vez de manteiga e banha. Não se esqueça de que as nozes, a maionese e as azeitonas também contêm gordura. Utilize-as em pequenas quantidades. Deverá, no  entanto, incluir na sua dieta, leite e queijo magros, bem como iogurte, porque estes produtos fornecem cálcio, que tão necessário é ao fortalecimento dos ossos e dos dentes.    

d.. Pode beber álcool, mas faça-o com moderação: não beba mais do que um copo de vinho ou de cerveja por dia, de preferência ao almoço.    

e.. Se é fumante, deixe de fumar. Nunca é tarde demais. A melhor forma de parar é decidir que o último cigarro vai ser aquele que está  fumando. Empenhe-se nisso e não tenha pena de si próprio. 

Sono: A necessidade de dormir difere de pessoa para pessoa e cada um é que deve decidir o número de horas de sono que precisa. É importante acordar retemperado. Para descansar bem durante a noite, o quarto deverá estar às escuras e silencioso. Não deve levar as suas preocupações para a cama. Evite comer alimentos pesados ao jantar e comer muito antes de se deitar (mas não vá com fome para a cama). Não beba chá, nem café, antes de ir para a cama. Não se habitue a tomar comprimidos para dormir. 

Higiene pessoal: A higiene pessoal diária é importante durante toda a vida e a velhice não constitui exceção. Contribui para o seu bem-estar e leva os outros a considerá-lo uma pessoa agradável. Evite ter odor corporal ou mau hálito. Tome banho ou ducha várias vezes por semana, mas não utilize demasiado sabonete (use-o apenas nas zonas onde transpira mais, como, por exemplo, os pés ou as axilas), porque este retira a proteção natural existente na pele. Com o decorrer dos anos, a pele torna-se mais seca, sendo, por isso, conveniente utilizar um leite hidratante uma ou duas vezes por semana.atividade intelectual e social . A saúde física é muito importante para o seu bem-estar, mas as atividades de natureza intelectual e social também o são. 

Eis alguns conselhos:     

a.. Não se isole: os amigos, antigos colegas, parentes e vizinhos terão todo o prazer em conversar consigo e em passar algum tempo na sua companhia. Vá ao seu encontro: lembre-se que eles não podem ler o seu pensamento. Não tenha vergonha de conversar com as pessoas que encontra, quer as conheça, quer não, mesmo que não sejam da sua idade.    

b.. Contato com as pessoas é particularmente importante à medida que se envelhece, altura em que a ajuda mútua e a companhia são muito importantes.    

c.. Se tiver perdido o seu companheiro ou companheira de toda a vida, não tenha receio de travar conhecimento com outras pessoas e de fazer novas amizades.   

d.. Mantenha-se ativo intelectualmente: leia, jogue xadrez ou cartas, faça puzzles. Interesse-se por coisas novas: vá visitar sítios que não conhece, passe as férias num novo local, experimente novas receitas de cozinha, vá a exposições, converse com pessoas diferentes de si, aprenda coisas novas.   

e.. Nunca se deixe vencer pelo tédio, tente ter sempre alguma coisa para fazer: atividades em casa, jardinagem, ou prestando ajuda a outras pessoas.    

f.. Interesse-se pelo que se passa à sua volta e preste atenção aos  pormenores; analise para si próprio aquilo que está fazendo ou vendo. Tome nota dos assuntos que tem de tratar - datas de pagamentos, compras a fazer. Coloque os objetos indispensáveis, como os óculos, em locais certos, onde estejam bem visíveis. 

Lidando com problemas de saúde: Apesar de todas os cuidados tomadas para se manter saudável, alguns problemas de saúde poderão surgir. É importante saber como lidar com eles, caso venham a aparecer, e o que deverá fazer para manter o mais independente possível. As doenças e os problemas que irão ser abordados a seguir não atingem  necessariamente todas as pessoas idosas. Um grande número de pessoas chega a idades avançadas, com muito poucos problemas de saúde.

Visão: À medida que se envelhece, diferentes alterações físicas podem vir a provocar uma redução gradual da visão. Em geral, as pessoas mais velhas precisam de luz mais forte para ler, cozinhar ou jogar às cartas. Para além disso, algumas doenças dos olhos são mais freqüentes na idade avançada, mas muito pode fazer-se para as evitar e, caso ocorram, para as curar. Para manter os olhos saudáveis:  

a.. Faça exames médicos de rotina para detectar doenças que possam vir a afetar também a sua visão, como, por exemplo, a hipertensão e a diabetes, que são doenças que podem ser tratadas.   

b.. Faça um exame completo aos olhos, de dois em dois anos, porque muitas doenças dos olhos se desenvolvem sem darem sinais de alerta. Se sofrer de diabetes, ou se alguém na sua família tiver tido problemas oculares, deve ser observado com maior freqüência.    

c.. Se a visão se enevoar de repente, se começar a ver duas imagens, se os olhos ficarem vermelhos e inchados ou se notar um aumento das secreções, contate imediatamente o médico. Alguns problemas de visão são mais freqüentes na idade avançada: A presbiopia é a redução gradual da capacidade de focar objetos ou letras de imprensa pequenos. É comum em pessoas com idade superior a 40 anos, tornando-se evidente, devido ao fato de as pessoas terem de afastar aquilo que estão a ler para a distância de um braço estendido. Algumas pessoas ficam com dores de cabeça ou sentem a vista cansada quando estão a ler. A Presbiopia não pode ser evitada, mas pode ser corrigida facilmente com óculos ou lentes de contacto.Moscas volantes são pequenas manchas que surgem no campo de visão, geralmente detectadas à luz do dia ou em quartos muito bem iluminados. Alguns desses pontos podem ser inofensivos, mas outros podem ser sinais de alerta de doenças dos olhos, especialmente se forem acompanhados de clarões súbitos. Se estes pontos, ou os clarões a eles associados, se tornarem  muito freqüentes consulte um médico. Secura dos olhos é o resultado da produção insuficiente de lágrimas e provoca comichão ou ardor nos olhos ou diminuição da visão. Uma boa solução para o problema é a utilização de gotas especiais para os olhos - as chamadas lágrimas artificiais. Excesso de lágrimas pode ser um sintoma de sensibilidade à luz, ao vento ou às alterações climatéricas. Os óculos de sol servem de proteção e ajudam a diminuir o problema. No entanto, o excesso de lágrimas pode também ser um sinal de problemas mais graves, como a inflamação ou obstrução do canal lacrimal, situações essas que podem ser tratadas. A catarata, desenvolve-se quando a lente transparente que existe dentro dos olho começa a ficar opaca ou embaciada, impedindo a passagem da luz.  Pequenos pontos opacos, nessa lente, pouco afetam a visão mas, se a catarata aumentar e engrossar, a lente danificada pode ser retirada, através de uma intervenção cirúrgica com a qual, em geral, se obtêm bons resultados. Se sofrer de cataratas, consulte o médico, para saber se a intervenção cirúrgica é necessária ou justificável e para avaliar os riscos. Depois da intervenção, vai conseguir voltar a ver com a ajuda de óculos ou de lentes de contacto. Também pode ser implantada, nos olhos, uma lente. O glaucoma é provocado por um aumento da pressão dos líquidos existentes dentro dos olhos, provoca lesões e pode levar à cegueira. Nem sempre se sabe o que causou este problema, mas, através de um diagnóstico precoce e de um tratamento apropriado, consegue-se, em geral, impedir o seu  agravamento e evitar a cegueira. O tratamento consiste na aplicação de gotas especiais, medicação, raios laser, ou, em certos casos, intervenção cirúrgica. Na maior parte dos casos, os sintomas são raros antes do glaucoma se desenvolver e o aumento de pressão nos olhos não provoca dores. Por isso é necessário vigiar a pressão ocular através de exames de rotina. 

Quando a sua visão não é boa:     

a.. Utilize a visão que lhe resta nas melhores condições possíveis: leia apenas com luz muito boa (de preferência a luz natural); não impeça a luz de entrar fechando as cortinas. Não utilize lâmpadas de fraca voltagem e coloque-as de forma a não encandearem. A luz fluorescente também é muito boa.  

 b.. Aumente o tamanho dos objetos para que vai olhar: leia livros com letras grandes, compre cartas de jogar de tamanho grande ou utilize uma lupa. Aproxime-se o mais possível dos objetos: o tamanho da imagem de uma tela de televisão pode ser aumentado cinco vezes se passar de uma distância de dois metros para uma distância de meio metro.    

c.. Coloque o objeto visualizado sobre um fundo o mais contrastante possível (por exemplo, uma cor diferente).   

d.. Quando andar de um lado para o outro, coloque um braço à sua frente, com o cotovelo dobrado, para se proteger de possíveis ferimentos, caso vá contra uma parede, uma porta ou outros obstáculos.    

e.. Aprenda a reconhecer os objetos existentes na sua casa - portas, tapetes, cadeiras, mesas. Peça às pessoas que vivem consigo para não alterarem a posição desses objetos; assim terá mais facilidade em se movimentar. Como ajudar um amigo ou parente com grandes dificuldades de visão:    

    a.. Treine a pessoa para que se movimente utilizando o máximo possível a visão que lhe resta. Não se esqueça de que o seu amigo, ou parente, pode não ouvir bem e movimentar-se com dificuldade.            b.. Quando ajudar a pessoa a andar, faça com que ela lhe segure no cotovelo ou mão, ou coloque a mão dessa pessoa no seu ombro, de forma a que ela caminhe meio passo atrás de si. Fale com a pessoa enquanto está caminhando: explique o tipo de superfície sobre o qual está a caminhar, peça-lhe que escute com atenção os sons, que os reconheça, especialmente as vozes das pessoas, e que descreva aquilo que vai encontrando.    

    c.. Nunca deixe a pessoa sozinha num local, sem lhe dizer onde ela se encontra e quando vai regressar.     

    d.. Ensine a pessoa a proteger-se contra acidentes, colocando um braço à frente com o cotovelo dobrado. Verifique se a maneira como a pessoa caminha é segura, para evitar que ela caia. Dê-lhe uma bengala para a ajudar a apoiar-se.  

    e.. Descreva a localização das coisas que se encontram na casa - as portas, as cadeiras, os tapetes, a lareira. Ensine a pessoa a deslocar-se de um local para outro e a sentir os objetos, para que, desta forma, ela tenha uma idéia do aspecto e disposição dos objetos na casa e possa assim movimentar-se melhor.   

    f.. Ensine a pessoa a saber qual a direção a tomar para chegar a um local de referência (uma porta de entrada, uma árvore); a pessoa deve lembrar-se de como e quando tem de mudar de direção para chegar ao local desejado. 

Audição: As dificuldades de audição são devidas a variadíssimas causas. Geralmente, na velhice, surgem gradualmente e devem-se a uma deficiência do nervo que transmite os estímulos do ouvido interno para o cérebro. Pode ouvir as palavras, mas ter dificuldade em as compreender, ou perceber com mais facilidade uma palavra isolada do que uma frase. 

Quando começar a ouvir mal:    

a.. Reconheça, perante si e perante os outros, que não ouve bem. Não se isole, para não ter que se sentir embaraçado ou zangado, por não ser capaz  de ouvir o que lhe dizem.    

b.. Não tenha vergonha de dizer às pessoas que não ouve bem, nem de lhes  pedir para repetirem o que acabaram de dizer.    

c.. Reduza os ruídos de ambiente (rádio, televisão), porque podem interferir com a sua audição. Aumente a intensidade da campainha do telefone e da porta.    

d.. cerúmen (rolhão de cera) existente nos seus ouvidos, pode reduzir ainda mais a audição. Tente retirá-lo, mas não utilize fósforos nem algodão, porque se o fizer, pode empurrar a cera ainda mais para dentro.    

e.. Procure informar-se junto do seu médico. Existem aparelhos auditivos que podem melhorar a audição e que não são muito caros. 

Como ajudar os amigos ou parentes com deficiência auditiva:   

a.. Não fale com a pessoa a uma distância superior a dois metros. Tente colocar-se num local bem iluminado, para que a pessoa possa ver claramente e observar os movimentos dos seus lábios, a sua expressão facial e os seus gestos. Comece falando, apenas, quando tiver a certeza de que a pessoa o está vendo. Quando estiverem presentes mais pessoas, chame pelo nome a pessoa que ouve mal, para que ela perceba que é com ela que deseja falar.  

b.. Fale mais alto que o habitual, mas não grite: os gritos não reproduzem as suas palavras de forma clara e podem, mesmo, distorcê-las.    

c.. Não fale depressa.   

d.. As pessoas surdas, sabem ler os movimentos dos lábios. Por isso:    

e.. não acentue demasiado as palavras, pois pode distorcer os sons e fazer com que seja mais difícil a concentração na leitura dos lábios;    

f.. não fale com objetos dentro da boca, não mastigue ao falar, nem tape a boca com a mão;    

g.. não fale diretamente para o ouvido da pessoa com deficiência auditiva.   

h.. Se a pessoa não compreender o que lhe está a dizer, repita aquilo  que disse, utilizando frases curtas e simples.   

i.. Dirija-se à pessoa com simpatia e respeito. Se ela não tiver conseguido compreender o que outras pessoas disseram, repita aquilo que foi dito. Desta forma ajudará a quebrar o isolamento em que ela se encontra em relação ao mundo. 

Olfato e paladar: Estes dois sentidos também podem diminuir com a idade, sendo, por isso, natural que passe a apreciar menos o sabor dos alimentos. A conseqüência mais importante desta situação é o perigo de poder vir a não reconhecer o cheiro do gás, ou o cheiro ou sabor da comida estragada. Assim, em sua casa, utilize de preferência, a eletricidade em vez do gás e não guarde a comida durante muito tempo.

Tato: O sentido do tato, nas mãos ou pés, também pode diminuir (especialmente se sofrer de diabetes), podendo por isso, ferir-se com mais facilidade. Quando se verificar essa situação:    

a.. Aprenda a proteger as mãos, olhando para elas quando estiver a fazer alguma coisa; os olhos podem transmitir-lhe mensagens que as mãos não conseguem transmitir. Por exemplo, quando vir uma panela no fogo, saberá que ela está quente e que não lhe deve pegar sem luvas ou sem utilizar um pegador.    

b.. Utilize sapatos em todas as ocasiões. Tome cuidado ao andar em superfícies acidentadas; escolha os locais onde vai colocar os pés, para não os torcer e para não os machucar nas pedras ou nas superfícies aguçadas.    

c.. Examine as mãos e os pés, todos os dias, para ver se estão feridos (se não conseguir ver as plantas dos pés, peça a alguém que veja se têm alguma ferida). Se tiver alguma ferida, trate-a e não utilize a mão ou o pé durante algum tempo. 

Falta de ar : Quando nos sentimos bem, ou estamos a descansar, não temos consciência do ato de respirar. Quando fazemos um exercício suave ou moderado, tomamos consciência da respiração, mas não sentimos sinais de desconforto. No  entanto, durante ou após um esforço maior, ficamos conscientes da respiração de uma forma mais desagradável. Um esportista treinado pode ter esta sensação depois de ter corrido uns três quilômetros; uma pessoa sedentária, pode tê-la depois de ter corrido alguns metros; uma pessoa  idosa, que não faça exercício com regularidade, pode sentir dificuldade em respirar a seguir a um pequeno esforço. A esta desagradável sensação de dificuldade em respirar dá-se o nome de falta de ar, uma sensação que, freqüentemente, é descrita como "não ter ar suficiente", "sensação de asfixia", "dificuldade em respirar fundo" ou "um aperto no peito". A falta de ar também pode ser um sintoma de doença cardíaca ou pulmonar, particularmente se for sentida quando se está em repouso, ao sentar ou levantar, ou quando acordamos, com falta de ar, a meio da noite. Não se esqueça de que a falta de ar pode ter uma causa bem definida. Consulte um médico, pois ele poder ajudá-lo com medicamentos ou outros tratamentos. Se sentir falta de ar, ao subir escadas ou ao andar, pare várias vezes para descansar, até sentir que a respiração se normalizou. 

Vertigem: A vertigem é a sensação de que o nosso corpo, ou aquilo que nos rodeia,está rodando. Pode ser acompanhada de náuseas e vômitos, podendo, por vezes, dar origem a quedas. É semelhante à sensação que temos quando  estamos enjoados. As vertigens podem ter várias causas, mas estão associadas, na maior parte dos casos, a doenças do ouvido interno, principalmente em pessoas com problemas de audição. Quando ocorrem, poderá ter dificuldade em manter-se de pé: procure deitar-se em posição confortável. Não deixe de consultar um médico, se o sintoma for muito intenso e persistente, ou peça ao médico que o venha ver em casa. 

Osteoporose: Os ossos são constituídos por pequenos cristais de cálcio e fósforo, depositados numa rede de fibras protéicas; o cálcio confere aos ossos resistência e dureza e as fibras protéicas proporcionam uma certa elasticidade. Existe uma contínua renovação do tecido ósseo, com destruição do osso antigo e formação de osso novo; durante os primeiros 30 anos de vida, o processo de reconstrução ultrapassa o de destruição, o que faz com que a massa óssea aumente. No entanto, a partir dos 40 anos de idade, o processo de destruição dos ossos progride a uma velocidade maior e a densidade óssea começa a diminuir. Este processo torna-se mais rápido, quando a concentração de cálcio no sangue é baixa, porque nessa situação o cálcio sai dos ossos para entrar em circulação. A osteoporose é uma doença caracterizada pela redução acentuada da densidade óssea, o que faz com que os ossos se tornem mais frágeis e se fraturem, na seqüência de quedas e traumatismos de pouca importância. O seu desenvolvimento é lento - durante vários anos progride, sem provocar queixas nem apresentar sintomas. Da osteoporose, quando instalada, pode resultar diminuição da estatura, encurvamento da coluna e dores nas costas e nos membros, especialmente durante a noite. Um traumatismo ligeiro pode dar origem a fraturas, sendo as do fêmur e dos ossos do punho as mais  freqüentes. Uma radiografia pode revelar a existência de compressões vertebrais. A osteoporose é mais acentuada nas mulheres, estando este fato relacionado com a menopausa. Nesta altura, a secreção dos hormônios femininos diminui e a destruição óssea aumenta. Estas alterações provocam a saída de cálcio do organismo, levando a uma aceleração da osteoporose. A osteoporose é, também, acelerada pela falta de exercício físico, excessiva permanência na cama, imobilização, tabagismo e consumo excessivo de álcool. Pode ser prevenida - ou pelo menos retardada - com uma dieta rica em cálcio, especialmente à base de leite e produtos lácteos, legumes de folha verde (espinafres e brócolos) e peixe com espinhas (sardinhas). Nas pessoas idosas, a necessidade diária de cálcio é de 800 mg. 

É indicado a seguir o conteúdo em cálcio de alguns produtos alimentares:        

Produto alimentar                              mg de cálcio        

1 copo de leite (1 a 3% de gordura)       200       

1 iogurte (ou similar)                               200        

100 g de queijo fresco (branco)             110       

100 g de sardinhas                                 350      

100 g de brócolos ou espinafres cozidos  75        

1 fatia de queijo gordo (amarelo)             200        

100 g de feijão de soja seco                    220        

100 g de figos secos                               120       

100 g de amêndoas ou amendoins           250 

Não esqueça que os amendoins, amêndoas, figos secos e queijo gordo, apesar de conterem quantidades elevadas de cálcio, são ricos em calorias; se tem tendência para engordar, não os consuma em excesso. As melhores e mais importantes fontes de cálcio são os produtos lácteos (de preferência os de baixo conteúdo em gordura) porque são facilmente absorvidos e contêm proteínas e vitaminas importantes. A exposição ao sol só lhe trará beneficio, se tiver falta de vitamina D. Por exemplo, algumas pessoas idosas têm carência desta vitamina. O exercício físico, especialmente aquele que causa pressão sobre os ossos, tal como andar, saltar e dançar, ajuda a prevenir a osteoporose. Evite o repouso prolongado no leito e a imobilização, deixe de fumar e não ingira quantidades excessivas de álcool. O seu médico poderá aconselhar medicação para o ajudar.  

Incontinência: Incontinência é a incapacidade de reter a urina. Não é uma doença, mas pode ser sintoma de uma enfermidade que deve ser identificada e tratada. Não deixe que o pudor o impeça de procurar ajuda. Uma em cada dez pessoas idosas, especialmente as mulheres que tiveram muitos filhos, pode ter dificuldade em reter a urina. Embora na velhice a bexiga se torne mais pequena e os músculos mais fracos, a incontinência não é necessariamente provocada pela velhice propriamente dita, mas sim por uma doença subjacente, ou por um medicamento que esteja a ser tomado. 

Existem  duas espécies de incontinência: a Incontinência Aguda e a Incontinência Crônica. A incontinência aguda, transitória, pode ser secundária a uma doença (especialmente se a doença se acompanha de confusão mental, como em caso da febre alta), ser devida ao fato da pessoa estar acamada (e, conseqüentemente, não poder ir ao banheiro urinar com a freqüência habitual) ou resultar de uma infecção urinária. Este tipo de incontinência desaparece, quando a causa subjacente é tratada. A incontinência crônica, persistente, pode assumir quatro formas:    

1.. Incontinência de esforço: consiste na perda de pequenas quantidades de urina com a tosse, o riso, o espirro ou durante o exercício; é mais freqüente nas mulheres e deve-se à pressão exercida sobre a bexiga.   

2.. Incontinência-urgência: consiste na perda de grandes quantidades de urina e resulta da incapacidade de evitar a contração da bexiga;   

 3.. Incontinência por excesso: resulta da pressão exercida sobre uma bexiga demasiado cheia (pode ser devida à existência de uma próstata aumentada);  

4.. Incontinência funcional: resulta de um atraso na chegada a tempo ao banheiro, devido a problemas de mobilidade, inconveniente localização ou má adequação das instalações sanitárias. 

O tratamento da incontinência persistente está dependente da situação que a provocou (e pode consistir em medicação, exercícios para fortalecimento de certos músculos, utilização de sondas que recolhem urina para um saco coletor ou intervenção cirúrgica. Podem ser adquiridas roupas interiores especiais, ou fraldões que absorvam a  urina e que não são mais grossos que os normais. Estes produtos estão comercializados, mas não devem ser utilizados como primeira solução. Siga os conselhos que lhe damos a seguir.    

a.. Nunca deixe a bexiga encher-se completamente e esvazie bem a bexiga, cada vez que for ao banheiro.    

b.. Mantenha horários fixos para ir ao banheiro (a incontinência funcional pode ser melhorada desta forma). 

Procure a ajuda de um médico, qualquer que seja o caso.

PREVENÇÃO DE ACIDENTES:

Cerca de 75% dos acidentes com idosos acontecem nas suas próprias casas, incluindo os alojamentos coletivos (casas de repouso, lares e outros locais de acolhimento), no ambiente circundante (escada, jardim ou pátio) ou por escorregamento na rua. Os acidentes aumentam com a idade e na maior parte dos casos dão origem a quedas. Além das quedas, os acidentes com idosos incluem ferimentos com  facas de cozinha (principalmente ao cortar peixe congelado ou carne com uma faca afiada), queimaduras devidas a manipulação desajeitada de produtos nflamáveis, ou à diminuição das faculdades sensoriais, como a perda da sensibilidade ao calor, ou a perda do olfato. 

Os acidentes mais freqüentes em casa são causados por:    

a.. pôr-se de pé em cima de um banco, escadinha ou cadeira    

b.. andar sobre pavimentos molhados, úmidos ou encerados    

c.. pequenos tapetes, ou tapetes de quarto sem forro antiderrapante    

d.. andar só com as meias calçadas ou usar chinelos ou sapatos mal ajustados    

e.. mobiliário instável, gavetas abertas, peças de mobília, ou outros obstáculos deixados no seu caminho (especialmente entre o quarto e banheiro)  

f.. má iluminação    

g.. escadas com degraus de tamanhos diferentes  

h.. fios elétricos ou de telefone, deixados no chão  

i.. soleiras das portas não niveladas com o chão   

j.. banheira, ou chuveiro, sem barras de apoio ou tapete antiderrapante. 

Alguns conselhos para prevenir os acidentes:    

a.. Em primeiro lugar, pratique exercício com regularidade de modo a melhorar a sua forma física. Faça uma alimentação equilibrada e siga os  conselhos dados anteriormente para a prevenção da osteoporose.    

b.. Seja cuidadoso de modo a não cometer erros na dosagem dos medicamentos que está a tomar.    

c.. Não beba álcool em excesso.      

d.. Use sapatos bem ajustados, com solas antiderrapantes (de preferência com ranhuras). Evite usar solas de cabedal e protetores de metal. Os sapatos devem ter saltos largos, calcanhares reforçados e presilhas, de modo a evitar que os pés se movimentem dentro dos sapatos. Evite usar chinelos.   

e.. Não use camisolas ou robes compridos.   

f.. Disponha de maneira sensata os móveis em sua casa - deixe espaço para poder andar de um lado para o outro sem encontrar obstáculos. Não ande  sobre pavimentos escorregadios (molhados ou encerados); os tapetes devem cobrir todo o chão de uma parede a outra ou possuir forro antiderrapante; a mobília não deve ter rodas e a cama e as cadeiras não devem ser demasiado baixas ou altas; coloque barras de apoio na banheira, ou chuveiro, e ao lado da do sanitário; utilize tapetes de borracha antiderrapantes no chuveiro e na banheira.     

g.. Ilumine convenientemente toda a casa: quarto, corredor, sala, cozinha e casa de banho.    

h.. As escadas devem ter boa iluminação, corrimãos seguros e degraus antiderrapantes.    

i.. Utilize a visão que tem, nas melhores condições: se precisar de óculos, use-os.    

j.. Tenha mobília estável e arranje espaços livres para se movimentar.    

k.. Não coloque no chão pequenos tapetes. Não deixe gavetas abertas.    

l.. Não deixe no chão fios elétricos ou de telefone - eles devem ser fixados às paredes.     

m.. Mantenha todos os utensílios elétricos em boas condições de funcionamento e a salvo dos salpicos de água.    

n.. aquecimento deve ter boa ventilação e devem ser utilizadas redes de proteção nas lareiras.    

o.. Mantenha livres de buracos, fendas e outras irregularidades que o possam fazer tropeçar, o relvado, pátio, jardim, passagens para carros e passeios,. Os pavimentos devem ser limpos das folhas úmidas.    

p.. Procure não estar sozinho, não se isole - isso pode atrasar a  chegada de ajuda do exterior no caso de acidente.   

q.. Esteja atento a movimentos inesperados de animais, crianças e bicicletas.   

r.. Traga consigo uma lanterna e utilize-a para que possa ver e ser visto na escuridão.   

s.. Não se envergonhe de pedir ajuda para atravessar a rua.    

t.. Use uma bengala, se o seu médico concordar. 

Se acontecer um acidente:  

a.. Se cair, procure levantar-se de forma correta: dobre-se sobre o estômago, ponha-se de quatro e gatinhe até à peça de mobília que se encontra mais próximo de si, coloque as mãos sobre ela e ponha um dos pés à frente, bem assente no chão. Levante-se e em seguida sente-se, até se encontrar recuperado.    

b.. Se não se conseguir levantar, tente pedir ajuda (a colocação de uma campainha no chão do quarto, debaixo de uma cadeira, ou de um telefone, juntamente com os números de emergência num banco baixo, constituem precauções sensatas que devem tomar);   

c.. Tente manter-se quente até chegar alguém para o ajudar (cubra-se e  coloque por baixo de si a roupa que estiver mais perto - tapetes, casacos ou lençóis).  

d.. Se se tiver cortado, ou queimado, procure a ajuda de um médico ou enfermeiro.   

e.. Se tiver sofrido um acidente, não o considere um acontecimento de mau presságio e não limite por isso as suas atividades. Pelo contrário, não se esqueça de que a atividade física ajudá-lo-á a manter-se mais saudável. 

A idade não é uma doença: Muitos idosos mantêm um bom estado de saúde. Continuarmos a sentir-nos bem e saudáveis na velhice depende, em grande parte, de nós próprios: ninguém permanece saudável sem nada fazer por isso - é necessário cuidarmos, nós próprios, da saúde e do bem estar. Aqueles que, ao longo dos anos, adotaram um estilo de vida saudável, serão certamente, os que têm as melhores condições de o conseguir. Como tal, todos nós podemos e devemos fazer algo para manter, em constante equilíbrio, os fatores físicos, intelectuais e sociais, que nos podem ajudar a sentirmo-nos bem e de boa saúde.

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: dra. shirley de campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos