-
Esta página já teve 133.161.362 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.660 acessos diários
home | entre em contato
 

Teen/Hebeatria/Adolescência/Jovem

Órgãos sexuais masculinos-saiba um pouco mais...

07/07/2003
 
 

 

 

O escroto
Bolsa de pele rugosa muito sensível e que, a partir da puberdade, está coberta de pelos. A sua função é proteger os testículos.

O pênis
Tem uma forma cilíndrica. Na sua extremidade existe uma zona mais volumosa que se chama glande. O pênis tem uma estrutura interna que poderíamos comparar a uma esponja muito porosa. Quando há excitação sexual, o sangue aflui em grande quantidade às zonas genitais. É então que esta estrutura esponjosa se enche de sangue e o pênis aumenta de volume, tornando-se duro. Quando isto acontece, diz-se que o pênis está ereto.

O prepúcio (faz parte do pênis)
Pele fina e elástica que cobre a glande. Ao retirá-la, a glande fica a descoberto. Quando a pele do prepúcio é demasiado estreita ou pouco elástica, a glande não pode sair completamente. Isto pode dificultar a ereção, a ejaculação e até, por vezes, a micção. Chama-se fimose a esta situação. A fimose pode ser solucionada com uma intervenção cirúrgica simples: a circuncisão. O pênis circuncidado e o que o não está parecem diferentes, mas a única diferença reside no aspecto.

O freio (faz parte do pênis)
Ligação que une o prepúcio à glande. Se esta ligação for muito curta, pode igualmente dificultar a ereção. Uma intervenção cirúrgica simples pode solucionar o problema.

Os testículos
Glândulas sexuais masculinas. Produzem os espermatozóides e o hormônio sexual masculino, a testosterona. São formados por um conjunto de tubos pequeníssimos que se juntam nos epidídimos. A partir da puberdade os testículos começam a fabricar espermatozóides e este processo continua ao longo de toda a vida. Os testículos são controlados por uma glândula, a hipófise, situada no cérebro.

Os espermatozóides
São as células reprodutoras masculinas. Inicialmente são maiores, mas com o seu amadurecimento perdem a camada de gordura que os envolve e cresce-lhes uma cauda, o que lhes possibilitará uma maior mobilidade. O espermatozóide maduro é formado por uma cabeça, um corpo intermediário e uma cauda. Os espermatozóides podem chegar a viver três dias no interior do aparelho genital feminino.

Os epidídimos
Estruturas com formato de vírgulas situadas sobre os testículos. São formados pela reunião dos pequenos tubos testiculares. No seu interior acabam de amadurecer os espermatozóides.

Os canais deferentes
Saem de cada epidídimo, sobem, comunicam com as vesículas seminais, entram na próstata e, no seu interior, desembocam na uretra. À medida que os espermatozóides amadurecem, sobem pelos canais deferentes e instalam-se nas vesículas seminais.

As vesículas seminais
"Pequenos sacos" que contêm os espermatozóides maduros. Estão situados debaixo da bexiga. Fabricam um líquido viscoso que protege os espermatozóides, os alimenta e facilita o seu deslocamento. Este líquido é formado por substâncias alimentares (glicoses, etc.) e chama-se líquido seminal. Os espermatozóides não se alimentam por si mesmos, pois perderam a capa de gordura que os envolvia. Precisam, por isso, de uma alimentação externa.

A próstata
Estrutura única situada perto das vesículas seminais e por debaixo da bexiga. No interior da próstata os canais deferentes desembocam na uretra. A próstata produz também um líquido que protege, alimenta e facilita a mobilidade dos espermatozóides. Chama-se líquido prostático. O conjunto formado pelo líquido seminal e prostático e pelos espermatozóides constitui o sémen ou o esperma, líquido branco e espesso que sai, durante a ejaculação, através da uretra.

As glândulas de Cowper
São duas pequenas glândulas situadas por baixo da próstata. Segregam um pouco de líquido que limpa a uretra, neutralizando os resíduos da urina. Esta emissão de líquido produz-se antes da ejaculação e pode conter espermatozóides vivos. Isto quer dizer que, mesmo que a penetração termine antes da ejaculação (coito interrompido) também é possível que se produza uma gravidez. Portanto, em caso de uso de preservativo como método contraceptivo, é necessário colocá-lo desde o princípio da ereção.

A uretra
Canal por onde passam o sémen e a urina. O seu funcionamento é regulado por um pequeno músculo que impede a saída dos dois líquidos ao mesmo tempo. A parte final da uretra é um pouco mais larga e chama-se meato urinário. Através da uretra sai o esperma (no momento da ejaculação).

A ejaculação
A ejaculação tem lugar no momento do orgasmo. Também durante o sono pode haver uma ejaculação relacionada normalmente com um sonho erótico. A freqüência das ejaculações noturnas é muito variável e depende de muitos fatores. É um acontecimento normal, sendo uma experiência bastante comum, particularmente em adolescentes e adultos jovens.

Fontes:

  • Brigitte Minne, Educação Sexual, Lisboa 1995, Ed. Estampa

 

 

 

 

 



IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos