Primeiros socorros/Emergência - Soros Antipeçonhentos
Esta página já teve 113.960.314 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.863 acessos diários
home | entre em contato
 

Primeiros socorros/Emergência

Soros Antipeçonhentos

13/07/2003

 

Para picada de cobra

Dentre os acidentes por animais peçonhentos, o ofídico é o principal deles, pela sua freqüência e gravidade. Ocorre em todas as regiões e estados brasileiros e é um importante problema de saúde, quando não se institui a soroterapia de forma precoce e adequada. São 4 os gêneros de serpentes brasileiras de importância médica (Bothrops, Crotalus, Lachesis e Micrurus) compreendendo cerca de 60 espécies.

Os soros para picadas de cobra, no Brasil, são: Antibotrópico, Antibotrópico/cotálico,
Antibotrópico/laquético, Anticrotálico e Antielapídico.

 

Para picada de escorpião

Os acidentes por picada de escorpião são menos notificados que os ofídicos (cobra). Sua gravidade está relacionada à proporção entre quantidade de veneno injetado e a massa corporal do indivíduo picado. As principais espécies do gênero Tityus responsáveis por acidentes são: T. serrulatus (escorpião amarelo), T. bahiensis (escorpião marrom), T. cambridgei (escorpião preto), T. costatus (escorpião ), T. fasciolatus (escorpião), T. metuendus (escorpião), T. silvestris (escorpião) e T. stigmurus (escorpião).

 

Para picada de aranha e escorpião

A picada de aranha é o acidente menos grave e a grande maioria dos casos notificados é proveniente das regiões Sul e Sudeste do país.

As espécies mais comuns são: Phoneutria nigriventer (aranha-armadeira), Phoneutria fera, Phoneutria keyserling; Loxosceles gaucho (aranha marrom); Loxosceles intermedia; Loxosceles laeta.

Para a Latrodectus curacaviensis (viúva-negra, flamenguinha), a FUNASA tem importado o soro, porque os laboratórios nacionais ainda não dispõem da tecnologia de produção. No entanto, o número de acidentes é raro no país, porque essas aranhas não são agressivas.

 

Para o contato com a lagarta do tipo lomonia

Os acidentes causados pela lomonia oblíqua (pararama, taturana) ocorrem principalmente na Região Sul e no Estado de São Paulo. O acidente se dá pelo contato das cerdas e quanto maior for o número de animais contatados maior é a gravidade do acidente.

 

Soro Anti-Rábico/Humano

A raiva apresenta uma letalidade de 100% em pessoas que não recebem o tratamento. No ciclo urbano, as principais fontes de infecção é são o cão e o gato. No Brasil, o morcego é o principal responsável pela manutenção da cadeia silvestre. Outros reservatórios silvestres são: raposa,
gato-do-mato, guaxinim e macacos (sagui).

 

Soro Antidiftérico

A proteção conferida por este soro é temporária e de curta duração (em média, duas semanas).A doença normalmente não confere imunidade permanente, devendo o doente continuar seu esquema de vacinação após alta hospitalar.

 

Soro Antitetânico

A imunidade é conferida pela vacinação apropriada com 3 doses de vacina toxóide tetânico (DPT, DT, dT ou TT). A doença não confere imunidade. O soro antitetânico e a imunoglobulina antitetânica (IGAT) propiciam proteção temporária, sendo de 14 dias para o soro e de 2 a 4 semanas para a imunoglobulina.

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos