Pediatria/Criança - Febre
Esta página já teve 110.740.084 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.761 acessos diários
home | entre em contato
 

Pediatria/Criança

Febre

14/07/2003

 

A febre é um dos sintomas mais comuns em pediatria. Porém, quando a criança tem febre ela se apresenta tão mal que muitas vezes pode parecer que ela está pior do que realmente está. Além disso, a febre por si só não causa nenhum mal ao organismo. Na verdade, a febre é um mecanismo de defesa que o nosso corpo fabrica para se livrar de alguma infecção.

Normalmente, nossa temperatura varia de 35,5 a 36,5 graus centígrados. É comum durante o dia termos variações de temperatura, podendo atingir até 37 graus, sem ter relação com nenhuma doença. Normalmente, uma temperatura de 37,5 é considerada sub-febril, sendo que nem sempre indica doença. O próprio aumento de atividade do corpo, como no caso da prática de exercícios, ou mesmo o excesso de agasalhos, pode levar ao aumento de temperatura. Mas quando a temperatura começa a ultrapassar os 37,5 já se pode pensar em algum processo infeccioso atacando o nosso corpo. Uma temperatura entre 37,5 e 38,5 graus é considerada febre baixa, entre 38,5 e 39,5 graus moderada e acima de 39,5 graus, febre alta.

É muito importante sabermos como medir a temperatura do nosso corpo. Pode-se utilizar os termômetros de mercúrio, que são os mais usados. Também existem os termômetros digitais, que são mais do modernos e mais acurados, dando uma leitura mais imediata da temperatura. O método mais moderno é atraves do termômetro digital que é colocado diretamente no ouvido e mede a temperatura instantaneamente, através da lidos membrana timpanica. Os termômetros de mercúrio em geral são colocados na boca, debaixo da lingua, e depois de 3 minutos. Também podem ser usados por via retal, que é o método mais eficiente, porém pouco utilizado no Brasil. O terceiro método é quando se coloca o termômetro na axila, que apesar de ser o mais utilizado, não é o mais eficiente.

O Que Fazer

Normalmente, quando a criança tem uma febre baixa, ou seja, entre 37,5 e 38,5 graus centígrados, recomenda-se:

  • colocar roupas bem leves na criança
  • oferecer bastante líquido
  • procurar o médico se a febre durar mais de 3 dias
  • procurar o médico se a criança estiver com uma aparência muito ruim

Nos casos em que a temperatura está mais alta, entre 38,5 e 40 graus, é recomendado:

  • além das recomendações acima, dar medicação para febre, como acetoaminofen (Tylenol), nas doses indicadas pelo peso da criança
  • se a febre durar mais de 24 horas, procurar o médico

Nos casos em que a febre é muito alta, ou seja, acima de 40 graus, é melhor procurar o médico imediatamente. Porém, enquanto isso, podem ser dados banhos de água morna, passando-se uma esponja com água morna pelo corpo da criança. Evite dar banhos com água muito fria, pois há o perigo de causar um choque térmico. Também pode ser dados medicamentos antitérmicos, desde que sejam recomendados pelo pediatra e na dose certa para o peso da criança. Evite usar acido acetil salicílico (aspirina) para tratar os casos de febre, porque foram documentados alguns casos de uma doença chamada Síndrome de Reye nas crianças que tinham catapora ou gripe e que tomaram esse medicamento. Essa doença provoca uma degeneração do cérebro, levando a criança ao estado de coma, podendo até morrer. Não existe tratamento para a Síndrome de Reye.

Os sinais mais graves acompanhando febre são:

  • convulsões
  • dificuldade para respirar
  • palidez
  • extrema prostração
  • dor de cabeça intensa
  • rigidez de pescoço
  • aparência muito ruim

Se a sua criança tiver algum desses sintomas, procure o pediatra imediatamente.

A temperatura deve ser medida a cada 6 horas, para ver se a criança está melhorando ou não. De preferência, anote todos os valores para levar ao pediatra, pois isso é muito útil para avaliarmos as condições da criança.

O pediatra irá examinar a criança e determinar a causa da doença. Em geral, as febres baixas são causadas por viroses, como nas gripes e resfriados, nas diarréias virais, nas doenças da infância como catapora, rubéola, cachumba e outras. O sarampo, apesar de ser uma doença viral, causa febre muito alta, o que o diferencia das outras doenças. Já as infecções bacterianas, como pneumonias, infecções infecções de garganta, provocam uma febre muito alta, ajudando o médico a definir o diagnóstico. Podem ser usados métodos laboratoriais, tais como exame de sangue, exame de urina e raio-X de tórax, para ajudar a estabelecer o diagnóstico. Muitas vezes, podem ocorrer febres de causa desconhecida, obrigando em alguns casos a internar o paciente para tentar descobrir o que está causando a febre.

Causa

Algumas crianças apresentam convulsões quando têm febre. Na maioria das vezes, não existe uma causa específica para explicar esse fato, como uma meningite ou outro processo infeccioso no cérebro. A esses casos damos o nome de convulsão febril. Em geral, quando a criança deixa de ter a febre, as convulsões Com a idade, a tendência é de ocorrer menos casos de convulsão, desaparecendo quando a criança atinge os 5 ou 6 anos de idade.

É necessário, para esses casos, ter a orientação de um neurologista, que muitas vezes recomenda o uso de anticonvulsivantes para controlar o problema.

 

 


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos