Primeiros socorros/Emergência - Convulsões
Esta página já teve 115.694.894 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.705 acessos diários
home | entre em contato
 

Primeiros socorros/Emergência

Convulsões

07/08/2003

 

A convulsão pode ser conceituada como uma contração violenta, ou uma série de contrações dos músculos voluntários, com ou sem perda da consciência por parte da vítima. Suas causas mais comuns são a epilepsia e a febre alta.

Os sinais e os sintomas da convulsão são em geral a perda do equilíbrio, a inconsciência, a palidez, a cianose dos lábios e a presença de espasmos incontroláveis que sacodem o corpo da vítima.

A epilepsia é uma doença do sistema nervoso central que caracteriza-se em sua fase mais grave, por crises de convulsão.

As vítimas que sofrem convulsões ou ataques epilépticos podem apresentar, perda de equilíbrio, queda abrupta, inconsciência, contração de toda a musculatura corporal, aumento da atividade glandular com abundante salivação, vômitos , e em alguns casos, micção e evacuação involuntárias.

Ao atender uma vítima em crise convulsiva, o socorrista deverá afastar os objetos próximos para que ela não se machuque (batendo contra eles). Não impeça os movimentos convulsivos, apenas posicione-se de joelhos atrás da cabeça da vítima e segure-a, a fim de evitar traumatismos. Posicione a vítima lateralmente para que ela não aspire vômitos e outras secreções para os pulmões.

Quando os espasmos desaparecerem, acomode a vítima confortavelmente e certifique-se de que ela está respirando (ver, ouvir e sentir). Depois encaminhe-a para receber assistência médica qualificada. Basicamente, podemos dizer que o tratamento deste tipo de vítimas, resume-se em proteger a vítima durante o ataque e encaminhá-la para atendimento especializado quando a consciência for recuperada. Durante a crise, não use de força para conter a vítima, nem ponha nada em sua boca.

O socorrista deve prevenir a convulsão febril em crianças, promovendo banhos de imersão a uma temperatura igual a do corpo. É recomendável manter compressas frias na região frontal da cabeça. A criança deverá ser mantida neste banho até a temperatura baixar a níveis próximos do normal. A criança deverá vestir roupas leves e ser mantida em local arejado e sem correntes de ar.

Uma vez ministrados esses cuidados, encaminhe-a para receber assistência qualificada para detectar e tratar a causa da febre.

bombeirostubarao


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos
 
Hacked by
#TeaMGh0sT

~ DB GOT DROPPED ~