- Acidentes Com Produtos Perigosos
Esta página já teve 133.047.034 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.670 acessos diários
home | entre em contato
 

Primeiros socorros/Emergência

Acidentes Com Produtos Perigosos

07/08/2003

 

 

A cada dia em nosso país aumentam as necessidades de produção e transporte de uma série de produtos denominados perigosos, os quais são utilizados em processos industriais para gerar produtos de consumo.Cada uma destas substâncias ou produtos químicos encontram-se associados a um perigo potencial e, esse é o risco que gera a necessidade do treinamento de equipes de primeira resposta para atuação diante de emergências com produtos perigosos.

Definimos este tipo de acidente como uma situação na qual um produto perigoso escapa ou está na iminência de escapar para o meio ambiente. Já o produto perigoso é conceituado como toda substância sólida, líquida ou gasosa que, pelas suas características, representa riscos para a saúde das pessoas, para a segurança pública ou para o meio ambiente.

Centenas de milhares de diferentes produtos perigosos são produzidos, armazenados, transportados e utilizados anualmente. Em realidade, o emprego destes produtos sempre seguirá incrementando-se, com a aparição inevitável de um crescente número de incidentes, provocados por derrames químicos, fugas acidentais, acidentes de trânsito, transportes inadequados, etc., requerendo organismos de socorro mais e mais profissionalizados e com capacidade de bem avaliar e controlar tais emergências.

Estes acidentes podem variar consideravelmente, dependendo dos tipos de produtos e quantidades envolvidas, das propriedades e características físico-químicas dos produtos, das condições meteorológicas e do terreno onde ocorreu o acidente, etc.

A primeira providência a ser tomada por uma pessoa que testemunhe um acidente com produtos perigosos, é a solicitação de socorro especializado, para que possam ser tomadas as medidas cabíveis no sentido de controlar a situação.

A Organização das Nações Unidas (ONU), preocupada com o crescente número de acidentes envolvendo produtos perigosos e a necessidade de uma padronização dos mesmos, atribuiu a cada um deles um número composto de quatro algarismos, conhecido como "número da ONU". A relação completa dos produtos perigosos, em ordem numérica e alfabética, consta do Manual de Emergências da Associação Brasileira da Indústria Química e de Produtos Derivados (ABIQUIM).

Ao avistar um acidente com produto perigoso, o socorrista deverá manter-se afastado do local e comunicar imediatamente à autoridade mais próxima (Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária, Órgão Ambiental, etc.) sobre o ocorrido, se possível, indicando o nome do produto ou o número código que encontra-se afixado nas laterais do veículo. Outra importante providência é a de isolar a área de risco e impedir a entrada de pessoas na zona de perigo. Suponha sempre que a carga seja muito perigosa, até ser dito o contrário por pessoal capacitado.

Caso você venha a se envolver em um acidente com produto perigoso, a primeira providência a ser tomada é afastar-se até uma distância razoável da carga sinistrada, recomendamos um mínimo de 50 metros. Posicione-se olhando em direção ao acidente, tendo o vento pelas costas para permitir que os vapores se dispersem em direção contrária a sua. Peça para alguém comunicar a autoridade mais próxima sobre o ocorrido. Não pise e nem toque em qualquer material envolvido no acidente. Não tente levar consigo qualquer tipo de material ou carga do acidente, pois o material poderá estar contaminado. Evite ao máximo a inalação de gases, fumaças ou vapores e, nunca fume próximo da área do sinistro.

Você poderá identificar o produto acidentado por qualquer uma das seguintes maneiras:

  • Pelo número de quatro algarismos (número da ONU) existente no painel de segurança (placa laranja) afixada nas laterais, traseira e dianteira do veículo;
  • Pelo rótulo de risco (placa ilustrada em formato de losango afixado nas laterais e na traseira do veículos); ou
  • Pelo número de identificação de risco, existente na parte superior do painel de segurança (placa laranja). Estes números são semelhantes ao número da ONU, mas indicam simplesmente a classe geral (classe de perigo do material). É constituído por até três algarismos e, se necessário, a letra "X". Possuem os seguintes significados:

Explosivos Classe 1

Gases comprimidos Classe 2

Combustível/líquido inflamável Classe 3

Sólidos inflamáveis Classe 4

Oxidantes/peróxidos Classe 5

Tóxicos Classe 6

Materiais radioativos Classe 7

Corrosivos Classe 8

Materiais perigosos diversos Classe 9

Exemplo: 3 3 6 muito inflamável e tóxico

Nota: Quando for expressamente proibido o uso de água no produto, deve ser colocada a letra "X", no início, antes do número de identificação de risco.

A Associação Brasileira da Indústria Química e de Produtos Derivados (ABIQUIM) possui uma central de informações que fornece, via telefone, qualquer orientação de natureza técnica em caso de emergência com produtos perigosos. A Central de Informações Pró-Química opera ininterruptamente 24 horas, recebendo chamadas através de uma linha de discagem direta gratuita (DDG) pelo fone de emergência 0800 11 8270, para todo o território nacional.

 

bombeirostubarao


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos