Ginecologia/Mulher - Candidíase Vaginal:
Esta página já teve 111.048.844 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.783 acessos diários
home | entre em contato
 

Ginecologia/Mulher

Candidíase Vaginal:

29/08/2003
   
Candidíase vaginal é uma doença ginecológica causada por fungos, que pode causar desconforto para a mulher e afetar a vida sexual do casal. Ela tem uma incidência bem significativa. Para você ter uma idéia, de cada dez mulheres que vão ao ginecologista, cerca de três têm candidíase vaginal.

Apesar disso, ela pode ser evitada. Neste folheto informativo, você vai encontrar algumas dicas preventivas sugeridas pelos próprios ginecologistas.

Os sintomas mais comuns da doença são:

  • corrimento pastoso grosso, amarelado ou leitoso;
  • irritação local;
  • inchaço;
  • vermelhidão;
  • odor característico na vagina.

Você pode apresentar alguns - ou mesmo todos - sintomas descritos acima e não ter a candidíase vaginal. Quem vai descobrir se você tem ou não a doença é o seu ginecologista. Consulte-o regularmente ou sempre que precisar.

TRATAMENTO

O tratamento da candidíase vaginal é simples. Atualmente é feito com medicamentos eficazes, tomados por via oral em dose única. Os resultados do tratamento são bem melhores que os tratamentos anteriores, feitos por longo período, e dispensam, na maioria das vezes, o uso desagradável de cremes vaginais.

CUIDADOS ESPECIAIS

Se seu ginecologista prescrever apenas o tratamento oral com fluconazol, isto não impedirá que você e seu parceiro mantenham relações sexuais normalmente e com a mesma freqüência.

Prefira calcinhas de tecido natural (algodão, por exemplo), que favorecem a ventilação e a evaporação de suor, principalmente no verão, quando aumenta a incidência da doença.

Evite usar calcinhas de lycra, que transpiram pouco e dificultam a evaporação do suor.

A candidíase vaginal acontece mais nas regiões quentes e úmidas. Morar em uma dessas regiões é um motivo a mais para você usar roupas íntimas leves e ventiladas.

Se você é diabética, redobre os cuidados. A doença apresenta uma maior incidência entre as diabéticas.

O seu ginecologista pode optar por tratar o casal, o que garante a sua cura. Ao tratar apenas você, existe uma chance de cerca de 20% da doença retornar. Oriente seu parceiro para que ele participe do treinamento, que é super simples: apenas um comprimido, por via oral, uma única vez.

Siga estes conselhos e mantenha o seu ginecologista sempre informado sobre a evolução do seu tratamento.

A candidíase vaginal é uma doença que tem cura - depende de você e de seu parceiro.

Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos