biologia molecular - Transcrição e síntese de RNA
Esta página já teve 117.263.137 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 27.630 acessos diários
home | entre em contato
 

biologia molecular

Transcrição e síntese de RNA

04/06/2003

O fluxo da informação genética envolve a síntese de moléculas de RNA. Essas moléculas possuem pequenas diferenças em relação ao DNA e podem assumir várias funções celulares. São também as únicas macromoléculas conhecidas que tem tanto função informacional quanto catalítica, tendo possivelmente desenvolvido um papel essencial nos primórdios da vida na Terra.

Nesta página você encontrará informações sobre a síntese de RNA (transcrição), conhecerá as diferenças deste processo entre procariontes e eucariontes (seqüências promotoras, acentuadoras e terminais envolvidas, enzimas e etc), verá como se dá o processamento do RNA nos eucariontes (revestimento da extremidade 5’, adição de cauda poliA na extremidade 3’ e splicing) e, finalmente, encontrará uma discussão sobre a origem da informação biológica no planeta. 

A transcrição consiste na síntese de RNA. Ela é realizada por um complexo enzimático cuja enzima chave é a RNA polimerase, composta de várias subunidades e que realiza a polimerização do RNA a partir de um molde de DNA. Esse processo ocorre em três etapas principais, a iniciação, o alongamento e o término, cada um contendo fatores específicos que serão explicados adiante. A figura abaixo representa um esquema simplificado do processo.

A transcrição em eucariontes é bem mais complexa que em procariontes. Nos eucariontes a transcrição ocorre no núcleo, enquanto a tradução ocorre no citoplasma. Já nos procariontes tal separação celular não existe, sendo os dois processos muito bem acoplados no espaço. A separação temporal e espacial desses dois processos nos eucariontes permite a eles uma melhor regulação da expressão gênica.

Outra diferença é que o transcrito primário de mRNA dos eucariontes, ao contrário dos procariontes, é amplamente processado. O RNA nascente sofre uma série de alterações: aquisição de revestimento (cap) na sua extremidade 5’, cauda poli-A na extremidade 3’ e remoção exata de íntrons (splicing) para a formação de mRNAs maduros com mensagens contínuas. Alguns mRNAs maduros chegam a ser até dez vezes menores em tamanho que seus precursores.

Grande parte das figuras do site foram retiradas do livro Molecular Biology of the Cell (Alberts et al.). Essas figuras podem ser adquiridas gratuitamente através do site do NCBI.

Fonte: www.icb.ufmg.br


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos