- Acidentes com medicamentos
Esta página já teve 133.047.111 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.670 acessos diários
home | entre em contato
 

Primeiros socorros/Emergência

Acidentes com medicamentos

17/11/2003


Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas - SINITOX


Medicamentos

No Brasil, como na maioria dos países, os medicamentos se apresentam como o principal agente tóxico, respondendo por, aproximadamente, 28% dos casos de intoxicação humana registrados, anualmente, pelo SINITOX/CICT/FIOCRUZ/MS.

Os benzodiazepínicos, antigripais, anti-depressivos, antiflamatórios são as classes de medicamentos que mais intoxicam em nosso país.

Crianças menores de 5 anos representam, aproximadamente, 35% dos casos de intoxicação por medicamentos, no Brasil.

Além de programas de prevenção e de campanhas educativas é importante a adoção em nosso país, a exemplo do que ocorre na maioria dos países desenvolvidos e em desenvolvimento, da Embalagem Especial de Proteção à Criança (EEPC) em medicamentos e produtos químicos de uso doméstico que apresentem potencial risco à saúde. O projeto de Lei nº 4841-A/94, em tramitação no Congresso Nacional, visa a adoção da EEPC em nosso país, que deverá ser confeccionada de modo que seja significativamente difícil para uma criança, com menos de cinco anos de idade, abrila ou retirar uma quantidade tóxica ou perigosa do produto nela contida, em um período razoável de tempo e que não seja difícil sua abertura por um adulto.

Para ajudar a prevenir intoxicações com remédios ou produtos de limpeza adquira, se possível, produtos com trava de segurança. Os produtos que mais causam intoxicação em crianças são os medicamentos, os domissanitários e as plantas.

Medidas Preventivas

  • Mantenha todos os produtos tóxicos em local seguro e trancado, fora do alcance das mãos e dos olhos das crianças, de modo a não despertar sua curiosidade.

  • Os remédios são ingeridos por crianças que os encontram em local de fácil acesso, deixados pelo adulto.

  • Nunca deixe de ler o rótulo ou a bula antes de usar qualquer medicamento.

  • Evite tomar remédio na frente de crianças.

  • Não dê remédio no escuro para que não haja trocas perigosas.

  • Não utilize remédios sem orientação médica.

  • Mantenha os medicamentos nas embalagens originais.

  • Cuidado com remédios de uso infantil e de adulto com embalagens muito parecidas; erros de identificação podem causar intoxicações graves e, às vezes, fatais.

  • Nunca use medicamentos com prazo de validade vencida.

  • Descarte remédios vencidos; não guarde restos de medicamentos; despeje o conteúdo no vaso sanitário ou na pia e lave a embalagem antes de descartá-la; nunca coloque a embalagem com o seu conteúdo na lixeira.

  • É importante que a criança aprenda que remédio não é bala, doce ou refresco; quando sozinha, ela poderá ingerir o medicamento; lembre-se: remédio é remédio.

  • Pílulas coloridas, embalagens e garrafas bonitas, brilhantes e atraentes, odor e sabor adocicados despertam a atenção e a curiosidade natural das crianças; não estimule essa curiosidade; mantenha medicamentos e produtos domésticos trancados e fora do alcance das crianças.

Bibliografia

SINITOX/CICT/FIOCRUZ. Envenenamento Doméstico. Setembro, 2001 (folder).
Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul. Intoxicação Infantil. Porto Alegre, RS, s/d. (folder).

 

 Em caso de dúvida ligue para o Centro de Intoxicações de sua região - Ligação Gratuita

0800.780.200 CIT/RS - Porto Alegre
0800.410.148 CIT/PR - Curitiba
0800.148.110 CEATOX/SP - São Paulo
0800.284.4343 CIAVE/BA - Salvador
0800.643.5252 CIT/SC - Florianópolis
0800.771.3733 CCI/SP - São Paulo


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos