-
Esta página já teve 133.161.277 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.659 acessos diários
home | entre em contato
 

Clínica médica/Intensiva/Enfermagem

Estudo diz que ruivas são mais suscetíveis à dor

12/12/2003
Pessoas como Sarah Fergunson podem sentir mais dor
Pessoas como Sarah Fergunson podem sentir mais dor

Mulheres ruivas como a duquesa de York, Sarah Ferguson, ou a atriz brasileira Deborah Block, são mais suscetíveis a sentir dor, de acordo com uma pesquisa da Universidade de Louisville, nos Estados Unidos.

O estudo mostrou que pessoas com o cabelo da cor vermelha necessitam de cerca de 20% a mais de anestesia do que as pessoas louras, negras ou morenas.

Os médicos acreditam que os mesmos genes responsáveis pela coloração vermelha do cabelo podem ser os responsáveis pela sensibilidade das pessoas ruivas à dor.

A pesquisa pode ajudar médicos a melhor definir a quantidade de um medicamento ou anestésico necessários durante um tratamento ou cirurgia.

Mulheres

A pesquisa foi conduzida por Edwin Liem, que estudou os efeitos de um anestésico comum (inalável) em mulheres entre 19 e 40 anos.

A resposta física das pessoas à dor foi monitorada de perto pelos cientistas. Liem verificou a resposta dos pacientes a estimulações dolorosas em suas pernas e braços.

As mulheres ruivas precisaram de mais medicamento para não sentirem dor.

"As ruivas não só sentiram dor mais facilmente, como também precisaram de mais medicamentos para não sentir dor", explicou o pesquisador.

Para ele, as descobertas podem ser explicadas pela genética - particularmente pelas variações de um gene que dá a tonalidade vermelha ao cabelo.

"Se o cabelo vermelho pode ser associado à forma como a proteína desse gene é recebida pelo organismo, nós poderemos avaliar também como o processo da dor ocorre no sistema nervoso", explica o cientista.

Isso poderá levar ao desenvolvimento de novos mecanismos de anestesia e de indução da inconsciência, no caso de os médicos precisarem controlar uma dor muito forte, como durante uma cirurgia.

"O cabelo vermelho é a primeira característica genética associada a esse processo", afirma Liem.

O médico lembra que regular a quantidade de anestesia é fundamental na medicina. Pouco anestésico pode fazer um paciente acordar durante uma cirurgia, por exemplo. Ou sofrer sérias complicações - como problemas cardíacos e pulmonares - se receberem anestésicos demais.

 

BBC Brasil


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos