- Trombocitopenia induzida pela heparina
Esta página já teve 134.558.009 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 24.671 acessos diários
home | entre em contato
 

Vascular/Cirurgia Vascular/Circulação

Trombocitopenia induzida pela heparina

27/01/2004

O Dr. Thomas A. Shuster e colegas da Division of Vascular Surgery, University of Missouri-Columbia, Columbia, Miss, USA realizaram um estudo para determinar a frequência atual, tipos de pacientes, indicações para teste, morbidade e mortalidade, e tratamento da trombocitopenia induzida pela heparina (TIH).

Entre dezembro de 1998 e julho de 2001, foram revisadas as características de 102 pacientes com teste positivo para anticorpos antiplaquetários associados à heparina (HAAb). Dentre os 33 941 pacientes, 10 348 deles receberam heparina não fracionada ou heparina de baixo peso molecular. Foram determinados os HAAb pela agregometria plaquetária.

Houve 58 homens e 44 mulheres com média de idade de 56 anos. A maioria (72%) dos pacientes foi admitida em um serviço cirúrgico. As indicações para o teste incluíram uma ou mais contagens plaquetárias baixas (n=51), trombose arterial (n=33) ou venosa (n=17) inexplicadas, resistência à anticoagulação (n=1), história prévia de HAAb (n=3), transplante de órgãos (n=17), ou outras indicações (n=4). Os "padrões" de HAAb foram variáveis, com pacientes tendo anticorpos apenas para heparina bovina (n=7), ou suína (n=5), bovina e suína (n=17), enoxaparina (n=3), fragmin (n=7), ou as 4 heparinas (n=43). A mortalidade relacionada com a TIH foi 6.9%, e a morbidade foi 30% com 19 tromboses arteriais, 7 venosas e 5 eventos hemorrágicos. O tratamento constitui de descontinuação da heparina em 95 pacientes. Vinte e cinco pacientes não necessitaram de anticoagulação continuada. Quando necessária, a anticoagulação foi continuada com um inibidor direto da trombina (n=32), enoxaparina (n=16), warfarina (n=15), ou aspirina (n=7). Sete pacientes continuaram a receber heparina não fracionada (n=4) ou heparina de baixo peso molecular (n=3).

A TIH ocorreu em 0.99% dos pacientes que receberam heparina e permanece um importante contribuidor não discriminatório de sua morbidade e mortalidade. Assim, os autores concluíram que os pacientes que recebem alguma forma de heparina e que desenvolvem uma contagem plaquetária diminuída, trombose inexplicada, ou resistência à anticoagulação pela heparina devem ser testados para HAAb. Se forem detectados HAAb, os pacientes não devem receber a(s) heparina(s) sensibilizada(s).

Journal of Vascular Surgery, 2003; 38(6): 1316-1323.


IMPORTANTE

  •  Procure o seu médico para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 
  • As informações disponíveis no site da Dra. Shirley de Campos possuem apenas caráter educativo.
Publicado por: Dra. Shirley de Campos
versão para impressão

Desenvolvido por: Idelco Ltda.
© Copyright 2003 Dra. Shirley de Campos